Zé Celso incentivou criação do teatro mato-grossense nos anos 90, diz diretor do Cine Teatro

90 0
Por Suelen Alencar e Rogério Júnior, Centro América FM e g1 MT
Dramaturgo Zé Celso Martinez morreu aos 86 anos, vítima de incêndio — Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O dramaturgo Zé Celso, de 86 anos, que morreu nesta quinta-feira (6), incentivou a criação do teatro em Mato Grosso nos anos 90, de acordo com o diretor do Cine Teatro, Flávio Ferrreira.

Celso morreu após ser internado em São Paulo depois que um incêndio atingiu seu apartamento. Ele é considerado uma figura histórica das artes cênicas e dedicou mais de seis décadas à sua maior obra: o Teatro Oficina.

“É uma grande perda. Nós temos uma ligação com ele, com Cuiabá. Porque nos anos 90 ele esteve aqui e foi um dos precursores do teatro em Mato Grosso. Foi 93 0u 94 ele esteve junto com Cena Onze e a UFMT. Foi muito importante a vinda dele, porque Oficina sempre foi uma referência”, contou.

Segundo Ferreira, o dramaturgo esteve na capital mato-grossense mais duas vezes, sendo uma na pandemia – de forma online – e outra neste ano, também à distância.

“Porque a fala dele, a autoridade moral dele como artista, é uma referência para o mundo. A sua luta contra a ditadura militar e sua resistência é uma referência. Que o Zé siga em paz e continue brilhando nos céus do mundo”, afirmou.

Quem é Zé Celso?
Zé Celso Martinez Corrêa no Teatro Oficina em São Paulo, em imagem de março de 2017 — Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo/Arquivo
Zé Celso Martinez Corrêa no Teatro Oficina em São Paulo, em imagem de março de 2017 — Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo/Arquivo

José Celso Martinez Corrêa nasceu em Araraquara (SP), em 1937. O diretor, autor e ator foi um dos principais líderes do teatro brasileiro.

Sua influência artística foi além dos palcos, aparecendo também em obras do cinema, como “25” e “O rei da vela”, que 15 anos antes havia feito história na dramaturgia com o espetáculo homônimo.