CMDCA de Campo Verde realiza Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

83 0
De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Campo Verde realizou na manhã de quarta-feira (17), na sede da Associação dos Servidores Municipais (ASSEMCAV), a 5ª Conferência Municipal dos Direitos da Crianças e do Adolescente.

Este ano, o evento, que teve o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social, trouxe como tema central “A situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempos de pandemia de Covid-19: Violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral, com respeito à diversidade”.

Para a Secretária Municipal de Assistência Social e primeira-dama do Município, Rosilei Pereira Borges de Oliveira, a Conferência é um espaço democrático para debater e apresentar propostas que possam ser transformadas em Leis e políticas públicas que garantam os direitos das crianças, dos adolescentes e de seus familiares, tanto no contexto da pandemia como no período pós-pandemia.

“É superimportante para nós, nos reunirmos enquanto sociedade, trazer a participação das crianças e dos adolescentes para uma discussão que, nada mais é que tratar sobre os seus direitos”, observou a secretária. “E nada melhor que ouvir as crianças e os adolescentes para saber quais as deficiências que nós temos em termos de políticas públicas voltadas para esse meio”, completou.

Da Conferência Municipal, que é subdividida em cinco eixos temáticos, saíram propostas que serão apresentadas na Conferência Estadual. Também foram eleitos os delegados que representarão Campo Verde no evento estadual.

Assistente social, consultora e especialista em programas e projetos sociais, Rosenete Lemes de Almeida, que ministrou palestra sobre o tema central da Conferência, pontuou que a pandemia da Covid-19 e o período pós-pandêmico, afetou o dia-a-dia das famílias, trazendo dificuldades como o desemprego, além de uma série de outros fatores que comprometeram a vida das pessoas.

“Sem falar em mortes, de filhos que ficaram órfãos. E essa Conferência vai tratar dessa reparação dos danos do pós-covid”, observou ela. “É o momento de reflexão onde os Municípios param e discutem a situação real e podem criar propostas que vão para a Conferência Estadual e depois para a Conferência Nacional e que podem virar Leis”, completou.

O prefeito Alexandre Lopes de Oliveira, que participou da abertura da Conferência, destacou o trabalho feito por pessoas que coordenam projetos sociais voltados ao bem-estar das crianças e dos adolescentes no município.

“Nós somos muito gratos a cada um dos senhores, das senhoras, que compõem essas instituições, que compõem essas organizações e têm feito de maneira muito perfeita esse trabalho de acolhimento, de condução, de acompanhamento, de formação”, enfatizou o prefeito. A conferência contou também com a presença do presidente do CMDC Warley Braz Júnior e dos vereadores Silvio Eventos e Janaína Nordestina