Policial militar é suspeito de ameaçar funcionário de conveniência em MT

88 0
Por g1 MT
Policial ameaçou o funcionário caso não abaixasse o volume do som — Foto: Reprodução

Um policial militar é suspeito de ameaçar o funcionário de uma conveniência em Jangada, a 82 km de Cuiabá, na madrugada dessa quinta-feira (30). Câmeras de segurança do estabelecimento mostram a ação de dois policiais que entram no local e, com agressividade, pedem para que a vítima abaixe o volume do som. O caso ganhou repercussão nas redes sociais pela conduta dos militares.

As filmagens mostram o momento em que um policial entra na conveniência, bate na bancada e cita o som alto. É possível ver que, no momento da ação, o volume do som não é perceptível na gravação. O funcionário questiona o militar e diz que o volume da música não está alto.

Nas imagens do lado de fora do estabelecimento, os dois policiais abordam um cliente que estava sentado em uma das mesas. Eles empurram o cliente e pedem para que ele coloque a mão na cabeça. Depois de revistar a vítima, eles saem do local.

g1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp-MT), que informou que não irá se pronunciar a respeito pois as instituições possuem seus órgãos para apurar de forma independente e relatar para que as medidas de responsabilização, de acordo com o que se comprovou, sejam adotadas.

Ao g1, a Polícia Militar informou que apura o caso.
Ação dos policiais

A proprietária do estabelecimento, Chrys Mendes, disse que os mesmo policiais sempre passam no local.

“Eles sempre estão passando a orientação falando para não aumentar o volume do som, e a gente sempre obedecendo. Muitas vezes, ele sempre fala com arrogância, sem educação. No dia do fato, foi a primeira vez que vieram e chegaram do jeito que está no vídeo”, disse.

Ela contou que, após o caso, fez uma denúncia na ouvidoria que será encaminhada para a Corregedoria da Polícia Militar.

Cadeira foi quebrada durante a abordagem à um cliente no local — Foto: Reprodução
Cadeira foi quebrada durante a abordagem à um cliente no local — Foto: Reprodução

O funcionário relatou que outros policiais passam no estabelecimento, mas nunca falaram sobre o volume do som, apenas os dois militares do vídeo.

A mãe do menino agredido pelos PMs, que não quis se identificar, contou que teme pela segurança do filho.

“Meu filho nunca fez nada de errado. Faz nem um mês que ele está trabalhando no local. Eles nunca foram quando meu filho estava de serviço. Não se escuta o som alto. Nem pelo lado de fora, até dá para escutar o policial gritando com meu filho. Temo pela segurança dele, sou uma mãe aflita”, disse.