MEC deve suspender mudanças no Enem 2024 com regras do Novo Ensino Médio, diz Camilo Santana

102 0
O ministro da Educação voltou a defender que “não é simplesmente revogar” o novo modelo
Jéssica Welma | Diário do Nordeste
O ministro da Educação, Camilo Santana, defendeu diálogo antes de mudanças no Novo Ensino Médio
Foto: Fabiane de Paula

O Ministério da Educação (MEC) deve suspender as mudanças previstas para o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, em 2024, baseadas nos itinerários formativos do Novo Ensino Médio (NEM). Em entrevista ao PontoPoder, nesta segunda-feira (3), o ministro da Educação, Camilo Santana (PT), falou sobre as críticas ao novo modelo e as estratégias que o MEC deve adotar para construir um consenso sobre as políticas de educação no ensino médio.

“Não é só simplesmente chegar e revogar, é preciso discutir. É isso que nós precisamos fazer. Espero que nesses 90 dias da portaria, a gente possa ter uma decisão e deveremos suspender qualquer mudança no Enem em relação a 2024 por conta dessa questão do novo ensino médio”, disse o ministro.

O Novo Ensino Médio é um modelo obrigatório a ser seguido por todas as escolas do país, públicas e privadas. Sancionado em 2017 no Governo Temer, entrou em vigor ano passado e tem implementação prevista até 2024, quando impactará também sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Neste ano, com as mudanças nas grades curriculares das escolas, as críticas ao modelo se fortaleceram. Em meio a elas, Camilo anunciou uma consulta pública para reavaliar a aplicação do NEM. A medida foi publicada em março, em portaria do Diário Oficial da União, e dá um prazo de 90 dias para manifestações, com prorrogação.”

A gente já está vendo várias discussões. Nós estamos contratando pesquisas, queremos ouvir os alunos, queremos ouvir os professores. Eu só tenho colocado, de uma forma muito transparente, é que nós não podemos cometer o mesmo erro que foi cometido no passado, sem ouvir, porque quem executa a política de ensino médio nos estados brasileiros não é o MEC. O MEC coordena, dá as diretrizes, mas quem executa são os estados. Como é que eu vou fazer qualquer mudança sem ouvir os estados brasileiros?”, pontuou o ministro.

Camilo ressaltou que não há consenso entre os secretários de Educação dos estados sobre a medida. “Precisamos construir um consenso e identificar quais são os problemas desse ensino médio e o que precisamos melhorar e corrigi-los. A determinação do presidente é essa: ter o melhor ensino médio possível para os nossos jovens brasileiros”, acrescentou.

MUDANÇAS NO ENEM 2024

Uma das demandas de estudantes e educadores é suspender as mudanças no Enem em 2024, o que consolidaria o modelo do NEM. Segundo o ministro, o MEC deve atender o pedido.

“Estávamos pensando em fazer mudança para 2024 porque a lei previa que o Enem precisava estar adaptado ao Novo Ensino Médio, ou seja, ter uma prova com a disciplina da base comum curricular e uma prova com as disciplinas dos itinerários, mas isso será revisto com certeza, nós pretendemos suspender esses prazos exatamente pra que a gente possa tomar uma decisão em relação a qual serão as mudanças, qual será a decisão que nós vamos tomar”, reforçou.

O ministro pontuou ainda que seguirá o caminho do diálogo. “Quero mandar uma mensagem a todos os alunos, professores, educadores do país que não tenham dúvida que é o meu estilo democrático, de ouvir, de dialogar e que nós queremos o melhor pra educação pública desse país e o que poderá ser feito, nós vamos fazer pra corrigir qualquer rumo de rota em relação ao que está em em andamento hoje no nosso país”, afirmou.