Ministério Público Federal pede bloqueio de R$ 4 milhões da prefeitura de Cuiabá por dívida com hospital

67 0
Por g1 MT
Sede do MPF no Mato Grosso — Foto: Divulgação

O Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de R$ 4.468.358,10 da Prefeitura de Cuiabá por dívidas com o Hospital Geral. O hospital informou ao MPF que, apesar da Prefeitura ter informado o pagamento dos valores devidos até 10 de janeiro de 2023, a quantia foi paga com quase 30 dias de atraso. Além disso, está em atraso os valores que deveriam ser pagos até 7 de fevereiro deste ano.

Em nota, a Prefeitura de Cuiabá informou que o pagamento já deve ter entrado na conta do hospital nessa terça-feira (7).

A denúncia do MPF destaca que “no tramitar da presente ação, verifica-se o reiterado e sistemático descumprimento de decisões judiciais e acordos firmados pelo município de Cuiabá, mesmo com o pontual e correto recebimento dos valores repassados pelo Fundo Nacional de Saúde”, disse.

Em manifestação no processo, a Prefeitura de Cuiabá informou que o atraso no pagamento dos valores ocorreu devido à intervenção na Secretaria Municipal de Saúde, que teria ocasionado desorganização financeira na pasta.

Para o MPF a argumentação é inaceitável, “tendo em vista que a intervenção teve duração de menos de 15 dias, bem como considerando que desde o final do ano de 2020, quando proposta a presente ação, os pagamentos objeto do presente autos não são realizados em observância do determinado nos termos do convênio, da legislação de regência, das decisões judiciais e dos acordos firmados em juízo”.

Nota na íntegra

Foi realizado nesta segunda-feira (6) um pagamento para o Hospital Geral no valor de R$ 4.468.358,10, referente à contratualização pré-fixado de janeiro/23 e ao pós-fixado de dezembro/22 do Hospital Geral. Esse pagamento deve ter entrado na conta na data de ontem (7), devido ao trâmite de transferência entre bancos distintos.

O que ainda está em aberto é referente à contratualização do pré-fixado de fevereiro/22 e o pós-fixado de janeiro/23, porém a SMS tem até o dia 10 de março para realizar o pagamento.

Além disso, a competência em aberto ainda não está habilitada, pois apenas após a reunião da Comissão Permanente de Acompanhamento da Contratualização (CPAC) ficará apta para pagamento. Essa reunião acontecerá nesta quarta-feira (8).