‘Sempre viajavam de carro’, conta tio da professora que morreu carbonizada com a família em acidente na BR-163 em MT

100 0
Por Mariana Mouro e Rogério Júnior, g1 MT
Casal sempre viajava para ver amigos e parentes no caminho — Foto: Redes sociais

O tio da professora Idalena Prado, que morreu com a família em um acidente de carro na BR-163 em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, Albino Prado contou neste domingo (8) que o casal sempre viajava de carro para fazer a “rota dos sonhos”. Com isso, segundo ele, a família visitava parentes e amigos pelo caminho.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu, na sexta-feira (6), quando o motorista de um dos carros que seguia sentido Rondonópolis para Mato Grosso do Sul, perdeu o controle da direção e avançou na pista contrária, batendo de frente com o veículo em que estava a professora, o marido dela, Demarcio Bocheneki, e as duas filhas, Sara e Clara.

Segundo a PRF, eles morreram carbonizados. Já o casal do primeiro carro morreu na hora com o impacto da colisão.

“Como ele (Demarcio) era empresário, então sempre viajava nos finais de ano. Eles sempre iam de carro, porque diziam que assim faziam a rota dos sonhos. Sempre viajando até o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e depois vinham visitando os parentes e amigos”, contou o tio.

A tragédia aconteceu quando a família retornava de uma viagem de férias.

Carros ficaram completamente queimados.  — Foto: Elka Calendária/TV Centro América
Carros ficaram completamente queimados. — Foto: Elka Calendária/TV Centro América
Repercussão

A prefeitura de Cuiabá, em nota, lamentou a morte da família e exaltou a trajetória profissional da professora na rede de ensino do município.

“Estamos diante de uma tragédia imensurável, que interrompeu precocemente a vida de uma família. Idalena era uma servidora muito querida por seus colegas e, principalmente, por seus alunos, que a viam como exemplo de dedicação e amor a profissão. Desejo que nosso Deus conforte todos amigos e familiares”, diz trecho da nota.

A secretária municipal de Educação, Edilene Machado, também prestou solidariedade aos familiares, amigos e alunos. “Desejo força para passar por esse momento tão difícil, que é a dor pela perda de uma pessoa amável, dedicada, honrada e que era capas de cativar a todos que estavam por perto”, lamentou.