Adolescente que matou amigo asfixiado em MT é internado por 45 dias em socioeducativo

101 0
Por Caroline Mesquita e Dhyego Rodrigues, g1 MT e TV Centro América
Ryan Rodrigues, de 10 anos, estava desaparecido desde quinta-feira (10). — Foto: Divulgação

O adolescente de 14 anos que matou Ryan Rodrigues de 10 anos em Tangará da Serra, a 424 km de Cuiabá, foi internado de forma provisória nesta quarta-feira (23) em uma unidade socioeducativa em Rondonópolis (MT). O corpo do garoto foi encontrado no domingo (20) em uma região de mata quando ele saiu para brincar com o adolescente próximo a um córrego.

O Ministério Público Estadual (MPMT) ofereceu denúncia ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). O adolescente passou por audiência de apresentação nessa terça-feira (22) no Fórum do município.

A audiência teve a presença de representantes do MP e do Conselho Tutelar. O pedido de internação foi determinado pela juíza Leilamar Aparecida Rodrigues da Vara da Infância e Juventude de Tangará da Serra.

Segundo MP, o adolescente foi encaminhado para a unidade socioeducativa e ficará internado pelo prazo de 45 dias, período em que será dado a sentença com a medida definitiva.

Caso seja aplicada a medida de internação, o adolescente poderá ficar no socioeducativo por até três anos.

Entenda o caso

Ryan desapareceu na última quinta-feira (17) quando saiu para tomar banho em um córrego com o adolescente. O corpo foi encontrado três dias depois em uma região de mata, próximo ao córrego.

Segundo o delegado da Polícia Civil que investiga o caso, Gustavo Espíndula, Ryan e o adolescente se conheceram no bairro onde moravam e viraram amigos.

“Eles moravam próximo um do outro e se conheceram no bairro”, disse.

Após o sumiço de Ryan, a polícia começou as buscas com a ajuda do adolescente. Segundo a o delegado, no trajeto, ele confessou o crime.

“Surgiu algumas contradições do amigo que tinha visto Ryan por último. A princípio, ele convidou o Ryan para tomar banho no córrego e disse que a motivação seria um possível bullying, mas isso não está claro. Ele possivelmente afogou o Ryan e deu duas pedradas na cabeça dele. Depois, arrastou o corpo do garoto por 12 metros na mata”, disse Espíndula.

A motivação do crime é investigada.

Mensagem para a avó

Antes do sumiço do garoto, ele enviou áudios em um aplicativo de mensagens para a avó paterna.

“Oi vó bença, como vocês estão? Então vó, vou passar o fim do ano com você, guarda picolé para mim”, disse.

A avó responde que vai guardar muitos picolés para Ryan.

“O pé está carregado de amora, vai ter bastante coisa para você comer. Os homens vão colocar internet aqui em casa. E sua mãe, está bem?”, disse.