Disparo acidental – Tio revela que menina de 2 anos pode ter atirado em si mesma

93 0
Do: MidiaNews
Vítima teria achado a arma e chamado prima para ver; caso aconteceu na quinta-feira em Cuiabá
O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira em Cuiabá

O depoimento do tio da menina de 2 anos vítima de um disparo acidental de arma de fogo, na manhã de quinta-feira (11), no Bairro Santa Cruz 2, em Cuiabá, revelou que o disparo pode ter sido efetuado pela própria vítima.

Até então a versão apresentada pela Polícia à imprensa é de que a priminha da vítima, de 5 anos, teria efetuado o disparo acidental que atingiu a face da menina.

A versão consta no depoimento do tio da vítima, pai da menina de 5 anos, após, segundo ele, ter ouvido uma versão preliminar da filha.

A testemunha estava na casa no momento do disparo e disse ter pensado que o barulho que ouviu veio de outra residência.

Ele alegou não ter entrado no quarto para ver a sobrinha, disse que ficou ao lado da filha, que estava bastante assustada.

O homem afirmou que, diante do choque, em um primeiro momento a filha não contou nada do que aconteceu. Mas que depois, mais calma, ela acabou contando.

A menina teria dito ao pai que estava na sala assistindo a televisão quando a prima “saiu do quarto dos pais, onde estava brincando, e foi até ela”.

A menina de 2 anos teria dito à prima “venha ver o que eu achei”.

A menina de 5 teria acompanhado a prima até o quarto e, ao chegar lá, ela teria aberto a gaveta e procurado a arma para mostrá-la.

“Falou que assim que a ** [vítima] pegou a arma houve o disparo”, disse o homem em depoimento.

Logo que o disparo foi efetuado, teriam entrado no quarto o irmão da vítima, também menor de idade, que estava na sala fazendo deveres da escola, e o pai dela.

O homem alegou que sua filha ficou “meio aérea” sem entender bem o que tinha acontecido. Disse também que a menina não conhecia sobre armas e que nunca mexeu com uma.

Ele disse que só conhecia a vítima por fotos e que essa foi a primeira vez que teve contato pessoal com ela.

Afirmou ter chegado do Rio de Janeiro no último sábado (6) para passar as férias com a filha até o dia 28.

 

Momento do crime

A testemunha disse que estava hospedada na casa do tio, que é pai da vítima, e estava nos fundos da casa cozinhando, quando ouviu o disparo.

“Pensou que tinha sido na casa ao lado”, diz trecho. Mas logo o tio “apareceu falando ao telefone, e sua filha veio correndo em sua direção”.

Foi o momento em que soube que a menina de 2 anos tinha sido atingida.