Hospital Veterinário da UFMT suspende atendimentos após paralisação dos residentes por falta de pagamento

105 0
Por Rogério Júnior e Kessillen Lopes, g1 MT
Estudantes realizam manifestação paga cobrar pagamento de bolsas — Foto: Rogério Júnior/g1

O Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) do campus de Cuiabá suspendeu os atendimentos, incluindo os de urgência e emergência, devido à paralisação dos residentes que trabalham na unidade, na manhã desta quarta-feira (5). Os profissionais afirmaram que estão sem receber a bolsa desde março e passam por dificuldades.

g1 entrou em contato com a universidade, mas não obteve retorno até esta publicação.

Ao todo, são 25 residentes responsáveis pelo atendimento do hospital. Segundo o diretor do Hovet, Kledir Anderson Hofstaetter, foi feito apenas um acordo com os estudantes para manter a qualidade de atendimento aos animais que já estão internados.

Residentes estão sem receber  — Foto: Rogério Júnior/g1
Residentes estão sem receber — Foto: Rogério Júnior/g1

Os estudantes afirmaram ao g1 que trabalharam com dedicação exclusiva à universidade, com a carga de 60 horas semanais e que, no momento de receber, foram informados de que o pagamento será feito somente em maio.

A residente de medicina veterinária da universidade, Amanda Lopes, explicou que, assim como outros colegas, não consegue pagar o aluguel da casa onde mora na capital.

“Vamos trabalhar março e abril sem receber. Moro de aluguel e não tenho como pagar. Além de mim, há colegas que não conseguem mais pagar o combustível ou o transporte para vir ao hospital. Não vamos atender até que tenhamos uma resposta da reitoria sobre o repasse”, pontuou.

O representante dos residentes do Hospital Veterinário na UFMT, Davi Silva, explicou que, para receber a bolsa, eles deverão continuar atendendo exclusivamente a universidade.

“É muito complicada essa situação, pois os residentes dependem da bolsa para pagar o transporte, o aluguel, alguns, inclusive, já estão sendo ameaçados de despejo. Fizemos até vaquinha por causa disso, mas esse nível de dificuldade vai atrapalhar muito na continuidade do programa desses profissionais. Esperamos por uma resposta efetiva”, ressaltou.

Falta de pagamento

Na última semana de março, um grupo de estudantes ocupou o prédio da reitoria em protesto contra o corte de R$ 2 milhões em assistência estudantil aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe).

Segundo o representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Wesley da Mata, o corte anunciado vai impactar 400 auxílios dos estudantes.

Hospital Veterinário de Sinop não receberá mais animais silvestres resgatados — Foto: Reprodução
Hospital Veterinário de Sinop não receberá mais animais silvestres resgatados — Foto: Reprodução
Mais animais sem atendimento

O Hospital Veterinário da UFMT, campus Sinop, a 503 km de Cuiabá, também deixou de receber animais silvestres resgatados, por causa de uma dívida de quase R$ 300 mil da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema-MT) com a unidade.

A Sema informou por meio de nota que vai quitar a dívida com o hospital, além de expandir para o campus de Sinop, o termo de cooperação que já tem com a UFMT de Cuiabá. A secretaria informou ainda que continua o atendimento de animais silvestres na região norte com clínicas particulares conveniadas.

Em dezembro, a diretora do hospital veterinário enviou um ofício para a secretaria informando a paralisação dos atendimentos. Segundo a unidade, a suspensão deve seguir até que todos os animais da secretaria que estão no hospital sejam destinados a locais apropriados.