Família de jovem que morreu atropelado na Av. Beira Rio em Cuiabá faz manifestação e pede justiça

56 0
Por g1 MT
Família de jovem atropelado na Av. Beira Rio em Cuiabá pede justiça — Foto: Arquivo pessoal

Familiares e amigos de Frederico Albuquerque Siqueira Correa da Costa, de 21 anos, que morreu atropelado no dia 2 de setembro, na Avenida Beira Rio, em Cuiabá, se reuniram no local do acidente nesta quinta-feira (2) – dia em que completa seis meses da morte – para homenagear o jovem e pedir justiça.

No dia do acidente, Frederico estava na rua, em frente a uma distribuidora de bebidas, ao lado de um veículo estacionado, quando foi atingido por um carro que passou pela avenida. O motorista fugiu sem prestar socorro.

A família pede que os envolvidos no caso sejam punidos pela morte. Durante a manifestação, os pais e o irmão do jovem fizeram declarações e relembraram momentos que viveram com Frederico.

“Era um menino de coração puro, amoroso, um menino que nos enchia de orgulho. Frederico é uma pessoa que deixou um legado de vida”, disse a mãe.

Uma faixa estendida pela família dizia: ‘Bebeu, dirigiu sem CNH, atropelou e matou um jovem cheio de sonhos, fugiu sem prestar socorro e forjou ligação para o Ciosp’, se referindo à motorista responsável pela condução do veículo.

No fim do ato, os manifestantes soltaram balões brancos no local onde Frederico foi morto.

Danieli Corrêa da Silva, que dirigia o carro, foi indiciada por homicídio doloso, omissão de socorro, fuga do local e direção embriagada, agravada pela falta de habilitação. Já Diogo Pereira Fortes, proprietário do veículo, também deve responder por homicídio doloso, omissão de socorro, fuga do local, dirigir embriagado, além de confiar a direção do veículo a pessoa sem habilitação.

O advogado do proprietário do carro disse, à época, que não ouve conduta dolosa por parte de Diogo. Já a defesa de Danieli não se manifestou.

Em novembro do ano passado, o Ministério Público de Mato Grosso denunciou Danieli e Diogo e defende que ambos sejam submetidos a júri popular. Agora, aguarda decisão da justiça.

O caso

Frederico Albuquerque foi atropelado na Avenida Beira Rio, no Bairro Grande Terceiro, em Cuiabá, por volta da 1h40 do dia 2 se setembro. O jovem não resistiu e morreu.

Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Judiciária Civil, a vítima estava na rua, ao lado de um veículo estacionado, quando foi atingida por um veículo branco que passou pela avenida. O motorista fugiu sem prestar socorro.

Frederico estava em uma distribuidora de bebidas e o atropelamento foi registrado pelas câmeras de seguranças.

 — Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Consta no registro policial que, depois do acidente, a Polícia Civil foi acionada por telefone pelo dono do carro. Ele disse que emprestou o veículo para uma amiga, que o devolveu “todo amassado”, e queria saber se havia envolvimento em algum acidente.

“Após isso, o Centro Integrado de Segurança Pública (Ciosp) recebeu uma outra ligação informando que na Rua Teles Pires, no Bairro Dom Aquino, próximo à Avenida Miguel Sutil, estaria no meio da rua, um para-choque branco com uma placa. Esta equipe se deslocou até o endereço informado e recolheu o para-choque juntamente com a placa”, informa o boletim de ocorrência.

Diogo Pereira Fortes, dono do carro que atropelou estudante na Av. Beira Rio, em Cuiabá, se apresentou à polícia. — Foto: Thiago Andrade/TV Centro América
Diogo Pereira Fortes, dono do carro que atropelou estudante na Av. Beira Rio, em Cuiabá, se apresentou à polícia. — Foto: Thiago Andrade/TV Centro América
Investigações

No dia 5 de setembro, o funcionário público Diogo Pereira Fortes, dono do carro, se apresentou à Polícia Civil. Segundo o delegado, ele afirmou que estava no banco do passageiro no momento do acidente e quem dirigia o veículo era uma amiga.

Ainda conforme o delegado, o servidor público e a amiga estavam em uma lanchonete e, na hora de ir embora, ela disse que iria dirigir e pegou o veículo. “Ele diz que não emprestou o carro, que a pessoa pegou sem autorização dele”, informou.