Atos em Brasília – Deputada bolsonarista diz conhecer presa pela PF e pede CPI

116 0
À PF a aposentada relatou que embarcou em caravana organizada pela deputada
Da FolhaPress
A deputada Coronel Fernanda, acusada de patrocinar ônibus para protestos

A deputada bolsonarista Coronel Fernanda (PL) confirmou durante participação no UOL News desta quinta-feira (16) conhecer Gizela Cristina Bohrer, 60, detida durante os atos de 8 de janeiro.

A deputada federal afirmou que havia dito não conhecer a mulher porque perguntaram se ela conhecia Gizele, enquanto a aposentada, residente em Barra do Garças (MT), chama-se Gizela.

“Ontem me perguntaram em nome de Gizele, Gizele alguma coisa. Essa senhora dona Gizela Bohrer, reside em Barra do Garças, eu já conheci ela em 2020 quando fui candidata ao Senado pelo estado de Mato Grosso, onde tive contato com ela nesse período. Nunca mais tive conversas com ela”, disse.

Em depoimento à Polícia Federal, a aposentada relatou que embarcou em um ônibus gratuito e que a caravana foi organizada pela deputada federal Coronel Fernanda.

A deputada afirmou que não organizou e nem participou dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro, e pediu a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para a apuração de “quem foram as pessoas que participaram”.

“Não sei por que ela fez isso [denúncias à PF], mas acredito que a justiça vai ser feita, estou muita tranquila, minha vida é um livro aberto”.

“Tenho certeza que algumas pessoas participaram disso, por isso acredito na instalação urgente da CPMI para que a gente possa individualizar cada ato. Tenho certeza que logo logo isso será esclarecido”, finalizou.