Prefeitura de Campo Verde investe no melhoramento genético para aumentar a produção leiteira nas pequenas propriedades

228 0
De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

Como forma de apoiar o pequeno produtor e aumentar a produção, principalmente nas pequenas propriedades, a Prefeitura de Campo Verde está apostando no melhoramento genético do rebanho leiteiro.

Desde janeiro de 2020, o Município, em parceria com a Empaer e o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Agricultura Familiar, desenvolve o Programa MT Produtivo/Leite. Nesse período, 16 produtores que têm suas propriedades em assentamentos da reforma agrária ou em comunidades rurais já foram beneficiados.

O programa, conforme explica o gerente de fiscalização da Secretaria Municipal de Agricultura, Regularização Fundiária, Habitação e Meio Ambiente, Marcelo Dicklhuber, consiste no uso da técnica de transferência de embriões já sexados de animais com alta aptidão leiteira em vacas com boa saúde. Os primeiros implantes, com embriões da raça girolanda, foram feitos em março de 2022.

“A gente conseguiu na primeira etapa 39 prenhês e na segunda etapa 26 prenhês”, contabiliza Dicklhuber. “A gente fez o implante em 222 vacas inicialmente para conseguir esse resultado. Foi bastante trabalhoso, mas estamos satisfeitos com o resultado”, completa.

De acordo com Marcelo, das 222 vacas que receberam os embriões, 65 confirmaram prenhês, com 34 nascimentos registrados até agora. Para o mês de abril, de acordo com Marcelo, estão programados outros 26 partos. Dos animais nascidos até agora, 32 foram fêmeas.

Secretário municipal e Agricultura, Regularização Fundiária, Habitação e Meio Ambiente, Flávio Gesser Mattei enfatiza que o ganho proporcionado com o melhoramento genético será a melhora do rendimento do rebanho leiteiro e a sustentabilidade das propriedades rurais.

“Nós temos uma expectativa de um aumento de 60% a 70% na produção de leite. Fazendo esse melhoramento através do gado girolando, que é a cruza do gir com o holandês, ele tem um melhoramento significativo na produção de leite. Então essa é a nossa perspectiva”, diz o secretário.

Flavio ressalta que a administração municipal, por meio da Secretaria da Agricultura do Município, tem desenvolvido vários projetos visando a sustentabilidade das pequenas propriedades. Como exemplo ele cita a instalação de uma fábrica de ração no Assentamento Dom Osório, a fábrica de kefir e a de processamento de cana-de-açúcar e derivados de milho, ambas envolvendo produtores do Assentamento Santo Antônio da Fartura.

Desde que foi implantado o Programa MT Produtivo/Leite, 16 pequenos produtores de Campo Verde foram atendidos. Um deles é Ademirson Teodoro, que tem sua propriedade no Assentamento Dom Osório, onde produz uma média de 400 litros de leite por dia.

Com o melhoramento do rebanho, ele espera superar os 600 litros diário. “Não tenho dúvida, a gente vem trabalhando para isso”, diz ele.

Na propriedade de Ademirson foram implantados embriões em 24 vacas em duas etapas, com 10 prenhês confirmadas e 5 nascimentos até agora. Para abril estão programados mais cinco nascimentos.

“É um resultado muito importante para gente, para os produtores, porque a gente vem trabalhando a genética, e a gente demora de 7 a 8 anos para você ter uma vaca de qualidade. E hoje, com esses embriões, com essas bezerras que nasceram, a gente tem um salto muito grande. Em dois, três anos a gente já resolve esse problema da genética, de vacas de alta qualidade. Então é um salto muito grande ”, ressalta ele.

Em relação ao rendimento das bezerras, que nasceram em dezembro e entrarão no período de produção em 2025, Ademirson é otimista.

“Desde que elas nasceram a gente tem trabalhado essas bezerras pelo que se segue à risca para que a gente tenha aí uma produção de 40 quilos de média, isso na primeira cria. É um resultado satisfatório”, afirma ele.

Outro produtor atendido pelo Programa MT Produtivo/Leite, é Rodrigo Luiz Favareto que produz 240 litros de leite por dia com um rebanho formado por 24 vacas. Na propriedade de Rodrigo foram feitos 13 implantes e confirmadas 6 prenhês, com 5 nascimentos de fêmeas e um macho.

O produtor elogiou a iniciativa da Administração Municipal em implantar o Programa. “Muito bom, eu achei interessante. Vem para ajudar a gente, o produtor de leite, a ter um ganho genético rápido. Dá para melhorar a produção de leite”, observa ele.

Em relação à produtividade das bezerras que nascerem em dezembro, e já pesam cerca de 3,5 arrobas, ele também é otimista. “São boas, têm genética e a expectativa é a melhor possível”, observa o produtor.

De acordo com os números da Secretaria Municipal de Agricultura, Campo Verde tem um rebanho em lactação formado por 1.710 vacas que pertencem a 124 produtores. A produção diária de leite está em 22.869 litros, com uma média de 13,37 litros por animal.