Professora de Campo Verde representa Mato Grosso em pesquisa sobre o SAEB em Brasília

107 0
De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

Atuando no Centro Educacional Paulo Freire e na Escola Estadual Ledy Anita Brescancim, a professora Cintya Faleiro Antunes participou em Brasília, nos dias 31 de maio e 1° de junho, do encontro que definiu os novos parâmetros para o Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB). Nesta segunda-feira (12) foi lançado em Brasília o Compromisso Nacional da Criança Alfabetizada, que tem como base a nova configuração do SAEB. O Programa de Alfabetização na Idade Certa prevê que toda criança deve estar alfabetizada até o 2° da Educação Básica.

Durante o encontro, realizado no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP, professores e educadores de todos os estados brasileiros puderam apresentar suas propostas, que foram avaliadas e incluídas ou não no Compromisso Nacional da Criança Alfabetizada.

“Eu gostei muito. Para mim, eles levaram em consideração o respeito pelo professor. Eles ouviram o professor, as nossas dificuldades, os nossos anseios de dentro da sala de aula, as nossas preocupações”, disse ela. “E isso ajudou a encontrar um ponto de equilíbrio: o que é uma criança alfabetizada? O que uma criança minimamente alfabetizada faz? Então foi esse o trabalho que nós fizemos em duas etapas”, explicou ela.

Na primeira etapa, as propostas foram regionalizadas, onde foi levado em consideração aspectos como maior IDEB, número de habitantes e o número de alunos por municípios.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Simoni Pereira Borges, ter uma professora participando de um evento dessa magnitude é de suma importância. Conforme informou a secretária, Campo Verde foi o único município a participar de todas as etapas da pesquisa.

“Ter uma profissional participando desse movimento, demonstra que Campo Verde tem referência em Educação e demonstra que a nossa Rede Municipal de Ensino oferta um ensino de qualidade”, destacou a secretária.

Professora há 20 anos, Cintya afirmou que ter participado da pesquisa para elaboração do novo SAEB, foi para ela uma realização profissional. “Foi uma conquista. É você ter a oportunidade de falar. Você ser ouvida. Isso dá para gente um sentimento de pertencimento, de compromisso na contribuição que a gente faz com a educação”, frisou.

Cintya também afirmou que a construção do Compromisso Nacional da Criança Alfabetizada representa um ganho para a educação. “Porque a gente já sabe o que se espera dos alunos, a gente pôde colocar as nossas dificuldades e a gente sabe do compromisso de trabalhar os diferentes gêneros textuais, a gente vai ter que investir muito em leitura, em escrita de diferentes gêneros textuais. A gente pôde discutir qual gênero textual mais apropriado para esse nível de escolaridade”, explicou ela.

Cintya comentou ainda que as discussões durante o encontro em Brasília permitiram aos professores perceber que os alunos fazem apenas a leitura superficial dos textos, sem que tenham um aprofundamento maior na mensagem transmitida por ele.

“Então isso vai ter que ser trabalhado mais ainda dentro da escola, para a criança poder fazer as inferências, para poder perceber o que não está na linha do texto, o que está entre as palavras”, observou ela.