Justiça absolve procurador que espancou a chefe durante o trabalho por conta de esquizofrenia paranoide

104 0
Por g1 Santos
Demétrius foi detido após espancar a chefe no trabalho em Registro, no interior de São Paulo — Foto: Reprodução

A Justiça de São Paulo absolveu o procurador Demétrius Oliveira Macedo, que agrediu a chefe durante o expediente na Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo. Segundo apurado pelo g1, nesta sexta-feira (16), o acusado foi considerado inimputável [pessoa que não compreende a ilegalidade do próprio comportamento em razão de doença mental] após ser diagnosticado com esquizofrenia paranoide.

Demétrius agrediu Gabriela Samadello Monteiro de Barros com socos e chutes dentro do local de trabalho, em julho de 2022. Ele foi detido e, depois, internado em um hospital psiquiátrico após apresentar um comportamento de personalidade narcisista e combativa.

A decisão é da 1ª Vara da Comarca de Registro. No documento, obtido pelo g1, há o apontamento que Demétrius recebeu o diagnóstico de cinco médicos diferentes. Segundo a Justiça, ele está em um hospital de custódia e deve permanecer internado por, no mínimo, três anos.

“Na presente condição, o acusado no processo penal, por mais que reconhecido tenha praticado fato típico e antijurídico, não pode ser responsabilizado penalmente, porque seu comportamento não pode ser tomado como crime, porque o agente não é culpável”, afirmou o juiz na decisão.

g1 entrou em contato com as defesas de Demétrius e de Gabriella, em busca de mais informações sobre a decisão judicial, mas não recebeu um retorno até a última atualização desta reportagem.

Procuradora-geral foi agredida dentro do ambiente de trabalho por colega em Registro, no interior de São Paulo — Foto: Reprodução
Procuradora-geral foi agredida dentro do ambiente de trabalho por colega em Registro, no interior de São Paulo — Foto: Reprodução

Relembre o caso

A procuradora-geral do município de Registro foi agredida pelo colega dentro da prefeitura, onde os dois trabalhavam. Gabriela Samadello Monteiro de Barros ficou com o rosto ensanguentado após levar socos e pontapés.

A ação foi filmada por outra funcionária do setor. As imagens mostram o também procurador Demétrius Oliveira Macedo espancando a vítima. Ele foi preso dias depois, na manhã de 23 de junho, em São Paulo. A Justiça havia determinado a detenção dele no dia anterior.

Durante o ato criminoso, ele xinga a vítima diversas vezes e, inclusive, empurra demais profissionais que tentam impedir os golpes.