Menino de 4 anos com pneumonia grave usa ‘pulmão artificial’ após decisão da Justiça em MT

139 0
Por g1 MT
Menino precisava de um tratamento conhecido como “pulmão artificial” — Foto: Reprodução

Um menino de 4 anos de Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, respira com o auxílio de um “pulmão artificial” devido a um quadro de pneumonia gravíssima. A família conseguiu o procedimento na Justiça, após o plano de saúde recusar o tratamento com Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), que custa cerca de R$ 2 milhões.

g1 tenta contato com a operadora responsável pelo plano de saúde.

Em uma primeira liminar, concedida no último sábado (6), a juíza Paula Tathiana Pinheiro, plantonista da comarca de Lucas do Rio Verde, determinou que a empresa fizesse o tratamento, sob pena de multa de R$ 1 mil por hora. No entanto, como a operadora não tinha expediente fora do horário comercial, houve dificuldade para intimá-los da decisão.

A intimação só ocorreu no sábado à noite e a operadora não cumpriu. Na madrugada de domingo, a equipe médica que atendia o menino em um hospital particular de Cuiabá comunicou sobre a necessidade da equipe especializada vir a Mato Grosso, uma vez que ele já não suportaria o transporte aéreo por conta da gravidade de seu caso.

A família buscou novamente a Justiça, solicitando que aumentasse o valor da multa para obrigar o plano a cumprir a decisão. A medida foi aceita pela magistrada plantonista, que destacou a necessidade, em caráter de extrema urgência, da autorização do tratamento para a preservação da vida da criança. A juíza impôs uma multa de R$ 500 mil por hora para obrigar a operadora a cumprir a liminar.

Após a nova decisão, a operadora iniciou o processo para trazer a equipe especializada com todos os equipamentos necessários até Cuiabá. A equipe só chegou ao hospital onde a criança estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por volta das 23h desse domingo (7).

Uma equipe de São Paulo chegou em Mato Grosso e iniciou o tratamento com o pulmão artificial ainda na noite de domingo e o quadro da criança foi estabilizado. Na manhã desta segunda-feira (8), os médicos autorizaram a transferência via UTI aérea ser realizada para um hospital particular de São Paulo, onde o paciente agora recebe o tratamento adequado contra a pneumonia.

Tratamento com pulmão artificial
'Pulmão artificial' foi criado por empresa de Rio Preto (SP) — Foto: Reprodução/TV TEM
‘Pulmão artificial’ foi criado por empresa de Rio Preto (SP) — Foto: Reprodução/TV TEM

O aparelho funciona com a oxigenação por membrana extracorpórea, que é um procedimento que retira o sangue venoso do paciente e bombeia de volta para uma veia ou artéria.

Durante o processo, o sangue passa por um oxigenador, que promove a retirada de gás carbônico e o ingresso de oxigênio no sangue.

O equipamento foi registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e lançado no dia 26 de janeiro de 2021 para auxiliar no tratamento de pacientes infectados pela Covid-19. O ator Paulo Gustavo foi uma das pessoas a fazer o tratamento com o equipamento.