Contador é condenado a mais de 60 anos por comandar roubo em chácaras e homicídio contra advogado em MT

73 0
Por Márcio Falcão e Rogério Júnior, TV Centro América e g1 MT
João Anaides Cabral Neto, de 49 anos, foi assassinado em assalto — Foto: Arquivo pessoal

A juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, condenou a mais de 60 anos, nessa terça-feira (9), o contador João Fernandes Zuffo por comandar roubo em chácaras e homicídio contra um advogado em Juscimeira, a 164 km da capital.

A defesa dos acusados foi procurada, mas sem retorno até a última atualização desta reportagem.

Em julho de 2021, João teria sido o mandante dos assaltos em três chácaras em Juscimeira, que resultou na morte do advogado João Anaídes Cabral Neto, de 49 anos. Depois do crime, ele ficou foragido da Justiça.

Conforme investigação da Polícia Civil, outras sete pessoas estão envolvidas no caso.

Na decisão, a juíza considerou que há indícios nos processos que indicam que os acusados, a todo momento, tentam cooptar as testemunhas para mudarem os depoimentos, com intenção de inocentar o mandante dos crimes.

Veja as condenações:

  • João Fernandes Zuffo condenado a 62 anos, três meses e cinco dias;
  • Ronair Pereira da Silva condenado a 48 anos, oito meses e 15 dias;
  • Lucas Matheus da Silva Barreto condenado a 38 anos e 20 dias;
  • João Manoel Correa da Silva condenado a quatro anos e 10 meses de reclusão.

Em relação aos bens apreendidos, a magistrada determinou que, num prazo de 90 dias, os objetos que não foram reclamados ou que não pertencem aos reús serão leiloados.

Ela ainda negou o direito de recorrer em liberdade dos acusados João Fernandes Zuffo, Ronair Pereira da Silva e Lucas Matheus da Silva Barreto.

Crime ocorreu em um rancho de Juscimeira (MT) — Foto: Divulgação
Crime ocorreu em um rancho de Juscimeira (MT) — Foto: Divulgação
Relembre o caso

Em 18 de julho de 2021, o grupo agiu dividido em dois veículos para invadir as chácaras em Juscimeira.

Nas imagens, é possível ver que todos estão encapuzados e que ao menos um deles está armado. Algumas câmeras só não registraram toda a ação porque foram desativadas.

Moradores foram feitos reféns e pertences foram levados. Ao todo, três propriedades foram invadidas. Em uma delas, o advogado João Anaídes Cabral Neto foi morto com um tiro na cabeça.