Artista de rua registra B.O contra padre por importunação sexual e injúria em MT

69 0
Por Thiago Andrade e Ruan Gabriel, TV Centro América
Artista Luiz Gabriel e o Padre Denis travam acusações. — Foto: Reprodução

O artista de rua Luiz Gabriel da Silva Monteiro Valente, de 20 anos, registrou um boletim de ocorrência, nesta segunda-feira (8), por importunação sexual e injúria contra o padre Denis Lucati Silvero, de 34 anos, que atua em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá.

Uma outra ocorrência já havia sido registrada pelo religioso contra o jovem por ameaça e extorsão. O caso veio a público depois que áudios vazaram nas redes sociais de Primavera do Leste.

À TV Centro América, o padre enviou uma nota informando que vai se ausentar das atividades por um tempo. (Leia a nota completa no final da matéria).

De acordo com o boletim de ocorrência, o artista conheceu o padre no início deste ano, em uma praia de Porto de Galinhas (Ipojuca – PE), quando o religioso estava de férias, e o jovem vendia quadros pintados na praia, conforme o boletim de ocorrência.

Ao se conhecerem, o padre comprou um quadro feito pelo artista e repassou valor de R$ 100 pelo trabalho. Em seguida, o padre teria adicionado o artista em uma rede social e os dois passaram a se comunicar constantemente.

Oferta de emprego

Ainda de acordo com o relato, em seguida, o padre teria feito contato com o artista oferecendo uma oportunidade de emprego na Paróquia Nossa Senhora do Caravaggio, em Primavera do Leste, com salário de R$ 2,5 mil “livre” e dizendo que ele “teria uma vida de príncipe”.

Segundo a denúncia, o artista aceitou a proposta e, depois, pegou um voo para Mato Grosso. O padre, então, teria levado o jovem para comer, conhecer a paróquia, e a próxima parada teria sido na casa do religioso.

O jovem disse aos policiais, durante a confecção do boletim de ocorrência, que aceitou a proposta de emprego para poder fazer exames em seu filho autista e tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Importunação sexual

Na sequência, o jovem teria sido informado que dormiria na mesma cama que o padre. Segundo o artista, na primeira noite, tudo correu bem. Entretanto, na segunda noite, o padre teria passado a mão nas partes íntimas dele.

O artista diz que se levantou, foi ao banheiro e preferiu ficar na sala da casa, pois não sabia o que o que fazer.

Segundo ele, a situação aconteceu outras vezes. Com as recorrentes negativas, ele conta que o padre passou a tratar ele de forma grosseira e que chegou a receber áudios do padre com palavrões.

Porém, a situação se agravou na época da realização de um show pela paróquia, com a presença do DJ Alok.

Então, o padre teria comprado uma passagem de volta para o artista. Segundo o jovem, ele não questionou e seguiu viagem de volta pra casa no dia 24 de abril.

O padre Denis teria bloqueado o contato do jovem.

O padre causou polêmica recentemente nas redes sociais ao postar um vídeo dizendo que sua meta na Páscoa era matar o coelho da Páscoa e, no Natal, matar o Papai Noel. O sacerdote afirmou, à época, que os dois não existem e que os cristãos precisam celebrar o verdadeiro motivo das datas comemorativas.

Ameaça e extorsão

O padre, por sua vez, também registrou boletim de ocorrência contra o artista no sábado (6).

Segundo relatos do padre, na sexta-feira (5), ele recebeu mensagens e áudios do jovem falando que criou um grupo de mensagens com algumas pessoas e que neste grupo divulgou algumas fotos, vídeos e áudios que ofendiam e difamavam a imagem do religioso.

Em seguida, ele teria entrado em contato para propor um acordo extrajudicial no valor de R$ 30 mil para resolver a situação toda.

O padre Denis disse que Luiz Gabriel exigiu um pagamento de R$ 100 mil para não divulgar as fotos e vídeos.

Luiz Gabriel, segundo o padre, teria entrado em contato com o bispo Dom Derek John Christopher Byrne, responsável por Primavera do Leste, pedindo R$ 20 mil para não divulgar as imagens, áudios e vídeos do padre.

Conforme o documento, o bispo solicitou as imagens, o que foi prontamente recusado pelo jovem, que condicionou o envio da denúncia apenas mediante o pagamento.

Porém, como o bispo acreditou se tratar de um crime digital com extorsão, bloqueou o contato e comunicou o padre.

Luiz Gabriel entrou em contato novamente com padre Denis propondo um acordo solicitando o pagamento de R$ 50 mil. Com o passar das horas, foi reduzindo o valor até chegar ao montante de R$ 30 mil.

Nota do padre

Diante dos fatos ocorridos, informamos que, a partir de amanhã, a pedido do bispo diocesano, o padre irá se ausentar das atividades por tempo determinado, porém, as programações da paróquia continuam normais. O padre também informa que, em razão dos últimos acontecimentos, já registrou Boletim de Ocorrência, portanto, agora é necessário aguardar. Rezemos porque tudo irá se resolver e este é um bom momento de todos crescermos juntos.