Obras em 2023 – Concessionária apresenta plano de melhorias para quatro aeroportos em Mato Grosso

123 0
Do: Olhar Direto
Foto: Reprodução

A Centro-Oeste Airports, concessionária responsável pela gestão de quatro aeroportos em Mato Grosso, apresentou, nesta segunda (27), os planos das obras de modernização nos aeroportos de Cuiabá, Sinop, Alta Floresta e Rondonópolis. Estimada em R$500 milhões, as obras iniciaram em 2019, mas ainda não foram concluídas. A apresentação ocorre após o trade turístico do estado solicitar junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) uma intervenção para assegurar que a empresa cumprisse o que foi acordado.

Segundo a concessionária, o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, vai contar com um terminal de passageiros mais amplo, além de uma área de embarque e saguão 50% maior que o atual. Já no Aeroporto Presidente João Batista Figueiredo, em Sinop (480 km de Cuiabá), a empresa vai construir um terminal novo passando de 1.400 m² para mais de 6.000 m². Além disso, as obras trarão a ampliação da pista de pouso e decolagem e pátio de aeronaves, sendo o novo pátio em concreto.

No Aeroporto Piloto Osvaldo Marques Dias, em Alta Floresta (790 km de Cuiabá), está prevista a ampliação do terminal de passageiros, passando para 2.300 m². Também serão feitos novo cercamento, implantação de PAPIs e ampliação do pátio de aeronaves, com aumento da capacidade operacional e incremento na segurança.

Em Rondonópolis (212 km de Cuiabá), o Aeroporto Maestro Marinho Franco dobrará de tamanho, saindo de 993 m² para 2.300 mil m². Com isso, todo o lado ar será revitalizado, com pavimentos, faixa de segurança e novo pátio, que será ampliado com ilhas de concreto. Segundo a empresa, as melhorias trarão aumento da capacidade operacional e incremento na segurança do empreendimento.

Participaram do evento: Mauro Carvalho, Secretário-chefe da Casa Civil do Estado de Mato Grosso; os Senadores Jayme Campos, Margareth Buzetti e Wellington Fagundes; do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado José Eduardo Botelho e do Prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, além de outras autoridades dos poderes legislativo e executivo estadual e municipais.

 

Críticas do Trade

Os aeroportos estão sob concessão desde 2019, na gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). De acordo com o trade, os contratos foram firmados sem a devida fiscalização no cumprimento das cláusulas estabelecidas, para serem administrados pela COA durante 30 anos.

Entre os vários pontos a serem destacados, segundo o trade, estão as situações precárias dos estacionamentos, que no Aeroporto Marechal Rondon, por exemplo, segue cobrando dos usuários o valor de R$ 58 a diária. Ainda segundo o trade, o espaço não oferece cobertura de proteção para os carros, fato que obriga passageiros que necessitam deste serviço a deixarem seus veículos embaixo de sol ou chuva por um dia ou mais.

“Diante deste cenário, vimos solicitar respeitosamente, por meio desta mensagem, que sejam tomadas todas as medidas contratuais e legais cabíveis pela ANAC a fim de assegurar que a concessionária atue no sentido de dar fiel cumprimento às disposições contratuais, inclusive no que tange às melhorias a serem implantadas no aeroporto, principalmente operações de voos internacionais de passageiros, atualmente é realizado apenas o transporte de cargas”, diz trecho do ofício encaminhado a ANAC pelos secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, e adjunto de Turismo, Jefferson Preza Moreno.

No contrato firmado está determinada a readequação na capacidade de processamento de passageiros e bagagens, incluindo a área de movimento de aeronaves, terminal de passageiros, estacionamento de veículos, vias de acesso associadas a outras infraestruturas, além de melhorias nos equipamentos e nas instalações para o adequado atendimento ao cliente. Tudo isso deveria ter sido realizado em um prazo de 36 meses.

A internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon também voltou a ser discutida pelo Governo do Estado. De acordo com o secretário César Miranda, basta a conclusão da adequação do aeroporto, de acordo com o projeto já autorizado pelo ANAC, para Mato Grosso começar a receber voos internacionais.