Nova espécie de fungo descoberta por pesquisadores de MT pode descontaminar mercúrio do solo

62 0
Por g1 MT
Nova espécie de fungo pode descontaminar solos com mercúrio — Foto: Jaqueline Senabio/Pesquisadora

Uma nova espécie de fungo foi descoberta no Pantanal de Mato Grosso por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na região de Poconé, a 105 km de Cuiabá. O microorganismo, segundo a pesquisa, é capaz de descontaminar o solo que contém mercúrio onde houve grande exploração de ouro.

De acordo com os pesquisadores, a descoberta foi confirmada depois de um sequenciamento genético e recebeu o nome Pseudomonodictys pantanalensis, em homenagem ao Pantanal.

O novo fungo vive com a planta pantaneira chamada de corticeira, segundo a doutoranda Jaqueline Alves Senabio, que descobriu a espécie.

O coordenador da pesquisa, professor Marcos Antônio Soares, explicou que o objetivo do estudo era encontrar uma solução para reduzir a contaminação do solo pelo mercúrio a partir da mineração que existiu na região em 1977.

Esse minério tem potencial tóxico e pode afetar todo o sistema nervoso do corpo, o que impacta no funcionamento dos órgãos. O mercúrio é um metal pesado tóxico e pode atacar o sistema nervoso central e periférico, bem como o trato digestivo, sistema imunológico, pulmões e rins.

Segundo a pesquisa, os fungos são organismos pequenos que podem ser vistos somente com auxílio de microscópio ou uma lupa, afinal eles vivem no solo, na água ou junto com plantas e animais. Alguns deles podem conviver com o homem.

A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Biotecnologia e Ecologia Microbiana da UFMT, dentro do programa de doutorado em Biotecnologia e Biodiversidade do Centro-Oeste.

Planta onde vive o novo fungo no Pantanal de MT — Foto:  Willian Pietro/Divulgação
Planta onde vive o novo fungo no Pantanal de MT — Foto: Willian Pietro/Divulgação