Modelo de agricultura familiar, Assentamento Santo Antônio da Fartura comemora 21 anos

221 0
De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

Com direito à bolo de aniversário, o Assentamento Santo Antônio da Fartura, em Campo Verde, comemorou no último sábado 21 anos de homologação.

Realizados no Centro Comunitário do Assentamento, os festejos contaram com a presença de lideranças políticas, apresentações artísticas, homenagens a pioneiros da comunidade e mostra de produtos hortifrutigranjeiros produzidos pelos pequenos agricultores da localidade.

Participaram das comemorações o secretário de Cultura, Lazer e Esporte, Clemilson Carvalho- que representou o prefeito Alexandre Lopes de Oliveira, o vereador Paulinho do Fartura, que é morador e representante do Assentamento no Poder Legislativo; o presidente da Câmara, vereador Sílvio Eventos, o vereador Gregório do Mercado Popular e ex-vereador Adriano Ronchi.

A história do Santo Antônio da Fartura começou em 1997 quando um grupo de famílias ligadas ao MST acampou na rodovia BR-070, em frente à fazenda que deu origem ao Assentamento.

Em 1998 as famílias ocuparam a área, demarcaram os lotes e construíram as moradias com palha de coqueiro e outros materiais. A transformação da área se deu a partir de 2002,    quando o Assentamento foi homologado.

A partir de então, foram abertas estradas, construídas pontes e instaladas rede de água e de energia elétrica e teve início a produção de hortaliças. Morando no Santo Antônio da Fartura desde o acampamento na BR-070, o hoje pequeno agricultor João Romão Oliveira dos Santos, resume a história da comunidade em uma palavra: prosperidade.

“266 famílias foram colocadas como titulares dos lotes, porém, nem todas puderam ficar devido à problemas de saúde, problemas financeiros. E foram chegando outras pessoas e [o Assentamento] se desenvolveu e chegou no crescimento que está hoje, com todo conforto, tecnologia que nós temos”, destaca João Romão. “O que tem na cidade a gente tem aqui hoje. Não se falava em energia, muito menos em internet. Hoje nós temos tudo isso aí. É um desenvolvimento muito grande. Eu acredito que é o assentamento mais produtivo de Mato Grosso, talvez até do Brasil”, frisa o pequeno produtor.

E ele está certo. A produtividade das pequenas propriedades do Santo Antônio da Fartura pode ser medida pela movimentação dos veículos que transportam a produção. Todos dos dias, dezenas de caminhões e caminhonetes cortam as bem conservadas estradas do Assentamento transportando hortaliças, frutas e legumes para cidades como Várzea Grande, Cuiabá, Rondonópolis, Campo Verde e Primavera do Leste.

Paulo Galvão, o “Paulinho da Fartura”, vereador e assentado do Santo Antônio da Fartura, mora na comunidade desde a época do acampamento na BR-070. Ele estima que mensalmente as pequenas propriedades da comunidade movimentem mais de 15 milhões. “Santo Antônio da Fartura significa prosperidade. A palavra-chave é prosperidade”, frisa Paulinho.

“Desde quando a gente deu início, na beira da BR, para hoje, ver todo esse povo produzindo, para mim é satisfatório. Eu sou muito orgulhoso mesmo, porque tantas pessoas trabalhadoras que estão aqui antes não tinham o seu pedaço de chão para produzir”, ressalta ele.

Atualmente, 820 famílias vivem no Assentamento Santo Antônio da Fartura. Com estimados 3,2 mil moradores, a comunidade conta com estrutura de uma pequena cidade, como pavimentação asfáltica na via principal, igrejas, escolas, quadra de esporte, campo de futebol, borracharia, funilaria, oficina mecânica, lanchonetes, restaurantes, lojas de confecções e de móveis, posto de saúde, farmácia e posto de combustível.