Mercado paralelo – Comerciante é preso com peças furtadas, armas e munição

73 0
Do: MidiaNews
Três mandados de buscas foram cumpridos em endereços residencial e comercial do empresário
Objetos apreendidos pela Polícia Civil em Rondonópolis

Armas sem registro, peças de veículos furtadas, dinheiro, centenas de munições e aparelhos celulares foram apreendidos com o alvo da terceira fase da Operação Mercado, em Rondonópolis, que investiga uma associação criminosa voltada à receptação de peças, de alto valor, furtadas de caminhões.

Coordenada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis, a operação teve como alvos, nesta terceira fase, os endereços de duas lojas e a residência de um comerciante do município.

Na casa, localizada na Vila Aurora, as equipes policiais apreenderam diversas armas de fogo, duas delas sem registro, além de dezenas de munições. O empresário, de 49 anos, era CAC (Caçador, Atirador, Colecionador), mas estava com a documentação vencida no Exército Brasileiro.

Nas lojas de revenda de produtos automotivos, os policiais civis apreenderam dezenas de módulos de caminhões, sendo constatado, até o momento, que três dos módulos encontrados foram identificados como produtos de furtos.

Um módulo no mercado legal pode chegar a valores de até R$ 15 mil a unidade, sendo que no comércio paralelo é comercializado bem abaixo da tabela.

O comerciante foi autuado em flagrante pelos crimes de porte e posse ilegal de arma de fogo e receptação qualificada.

Entre os materiais bélicos apreendidos estão 1.300 munições, quatro pistolas modelo Glock, seis pistolas Taurus, sete carabinas, além de espoletas, chumbo, carregadores, balanças de precisão e apetrechos para recarga de munições. Entre as armas havia duas sem nenhum registro formal.

 

Mercado paralelo

A investigação da Derf de Rondonópolis apura os crimes de receptação qualificada e associação criminosa estabelecida a partir do conluio de lojas de peças automotivas com executores dos furtos, especialmente, de peças de alto valor no mercado, como módulo de motor, módulos arla, cervo de embreagem, todos com valor médio de R$ 15 mil.

Três envolvidos investigados na primeira fase da Operação Mercado Paralelo, em 2021, foram condenados pelo juízo da 2a Vara Criminal de Rondonópolis.

As investigações apontaram que dois indiciados na fase anterior são proprietários de estabelecimentos comerciais destinados à venda de peças de caminhões e teriam contratado dois criminosos para executar os furtos e depois revender as peças em suas lojas de autopeças.

Nesta nova fase da operação, a dupla de empresários é investigada como parte do núcleo relacionado aos receptadores das peças furtadas.

“O atual inquérito destina-se à apuração da responsabilidade penal dos responsáveis pela compra e revenda de peças de caminhão produtos de crime de furto”, explica o delegado titular da Derf de Rondonópolis, Santiago Sanches.

Com os elementos coletados nas fases anteriores da operação, a Polícia Civil reuniu informações que levaram a indícios de que o grupo criminoso esteve envolvido em diversos furtos de caminhões praticados nas cidades de Rondonópolis, Barra do Garças, Primavera do Leste, Sorriso e Sinop.