Boate Kiss 10 anos: aniversário da tragédia é marcado por homenagens

143 0
Diversas atividades serão realizadas ao longo do dia para lembrar as 242 mortes no incêndio da casa noturna localizada em Santa Maria (RS)
Por CNN Brasil
Homenagens às vítimas da Boate Kiss
Crédito: Divulgação/Prefeitura de Santa Maria

Uma série de homenagens está sendo realizada desde quarta-feira (25) para relembrar a memória das 242 pessoas que morreram no incêndio na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria (RS), que completa dez anos nesta sexta-feira (27).

A Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), com apoio da prefeitura e de outras organizações, preparou um cronograma que inclui intervenção de colagens de frases, exibição de documentário, vigília e missa.

“As ações realizadas têm como intuito preservar a memória daqueles que partiram e construir um futuro seguro para os que aqui ficaram”, pontua a AVTSM. A intervenção foi nomeada ’27 de janeiro: resgatar a memória é construir o futuro’.”

Na quarta-feira (25), foi feita a colagem de frases e fotografias da Praça Saldanha Marinho –onde se concentram as homenagens– até o prédio onde funcionava a casa noturna.

Na quinta-feira (26), foi realizada uma acolhida, falas de pais e sobreviventes e a exibição do primeiro episódio do documentário “Boate Kiss – A Tragédia de Santa Maria”, do GloboPlay, no Theatro Treze de Maio. Outras atividades foram feitas para aqueles que não quiseram assistir.

No fim da noite, foi feita uma vigília com caminhada da praça até o prédio onde funcionava a Boate Kiss.

Neste dia 27, quando se completam os dez anos da tragédia, haverá um culto ecumênico às 10h na praça Saldanha Marinho. Lá também, às 13h45, haverá soltura de balões.

No decorrer da tarde, haverá uma série de diálogos com representantes da AVTSM e especialistas sobre o processo legal envolvendo o caso e também sobre a importância da prevenção contra incêndios.

Também estará presente uma representante da associação Familias Por La Vida, que reúne famílias e sobreviventes da tragédia de Cromañón, também um incêndio em casa noturna, na Argentina, ocorrido em 2004.

À noite, haverá participação do coletivo “Kiss: que não se repita”, criado no fim de 2013 para “ser um espaço de desabafo individual sobre o luto vivido após o incêndio”. Eles realizam projetos anuais e mobilizações presenciais, se apresentando como “maior rede de informações e de memória sobre o incêndio”.

A jornalista Daniela Arbex, que escreveu um livro sobre o caso e serviu de consultora criativa para a série da Netflix “Todo Dia a Mesma Noite”, estará presente.

À CNN, ela afirmou que a tragédia não deve cair no esquecimento. “Eu falo sempre que a dor dói mais quando ela é ignorada. Então, a gente precisa mostrar para o país que a omissão coletiva gera barbárie. Nesse caso, e em todas as outras tragédias do Brasil, se a gente não construir memória, a gente repete”, ressaltou.

É prevista ainda a participação do jornalista Marcelo Canellas, diretor da série do Globoplay sobre o caso.

No sábado (28), às 20h, haverá uma missa em homenagem às 242 pessoas que morreram no incêndio.

Memorial

Após o fim do processo que busca a responsabilização pelo incêndio na boate, o prédio onde funcionou a casa noturna será demolido e dará lugar a um memorial.

A fachada terá um muro de concreto e tijolos que bloqueia a visão de praticamente todo interior. A entrada e saída fica em uma abertura no meio. Segundo o arquiteto Felipe Zene Motta, responsável pelo projeto, “a austeridade da fachada representa o luto”.

Na parte central do interior há um jardim circular cercado por 242 pilares de madeira. Cada um deles trará o nome de uma vítima e um suporte para posicionar uma flor.

Haverá também três ambientes além do jardim: um auditório; uma sala multiuso, que abrigará acervo de uma exposição permanente multimídia; e uma “sala única”, que abrigará a sede da AVTSM, assim como demais áreas de reunião e atividades coletivas.

Todas essas áreas poderão ser acessadas por meio de “portas pivotantes” constituídas pelos pilares de madeira em trechos específicos.

Fachada do projeto de memorial para as vítimas da boate Kiss traz “austeridade que representa o luto” Crédito: Divulgação/Felipe Zene Motta

 

Centro do memorial às vítimas da Boate Kiss terá jardim circular e pilares com nomes dos jovens Crédito: Divulgação/Felipe Zene Motta