Acidentes com mortes na BR-163 triplicam nos 18 dias deste ano em MT, aponta PRF

26 0
Por Rogério Júnior e Bruno Motta, g1 MT e TV Centro América
Número de acidentes triplicou em 18 dias de janeiro, quando comparado com ano passado em MT — Foto: TV Centro América

O número de acidentes triplicou na BR-163 em Mato Grosso, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF). No período observado de 18 dias deste mês, foram 12 mortes provocadas por acidentes na rodovia. No ano passado, por igual período, foram 4 ocorrências com vítimas.

Em 2022, de janeiro a dezembro foram 106 mortes registradas na BR-163, segundo dados da PRF.

Ao g1, a concessionária Rota do Oeste informou, em nota, que anualmente vem alcançando uma redução média de 28% no número de mortes na rodovia, desde que assumiu a concessão em 2014.

A empresa ainda destacou que a oscilação de registros de mortes nesse intervalo de tempo levantado pela reportagem não tem relação com redução de segurança, de questões técnicas, de segurança, sinalização ou alteração no atendimento prestado na rodovia. (Veja nota na íntegra ao final da reportagem).

Em relação a infraestrutura da BR-163, o governo estadual informou que deve finalizar as renegociações da dívida da atual concessionária Rota do Oeste no valor de R$ 920 milhões até fevereiro deste ano. Depois disso serão feitos os investimentos através da autarquia MT PAR para melhorias nas estradas que cortam o estado.

Para o técnico de seguro de cargas, Gilson de Paula, a falta de infraestrutura na pista tem provocado inúmeros acidentes.

“Se o motorista tira 10 centímetros da pista, ele já tomba porque tem 30 centímetros de asfalto alto, de onde era para ser um acostamento. Não existe isso. Falta duplicação, porque isso está matando gente todo dia”, contou.
Os caminhoneiros que passam pela rodovia também cobram melhorias. É o que afirma o caminhoneiro Orlando Ferreira Pimenta. “Quando a gente pega a nota e sabe para onde vai e por onde precisa passar, já fica imaginando o que tem que enfrentar”, disse.

Um ônibus com mais de 40 passageiros teve um problema no pneu por causa dos buracos na estrada, em Diamantino, a 299 km de Cuiabá. Com isso, eles precisaram aguardar por mais de 11 horas em um estabelecimento comercial às margens da rodovia até que o transporte fosse consertado para seguir viagem.

A empresa responsável pelo ônibus foi procurada pela TV Centro América, mas até a publicação desta reportagem não houve retorno.

Casos

Na sexta-feira (6), no km 550 da rodovia no mesmo município, um ônibus e uma carreta se envolveram em um grave acidente e causou a morte de quatro pessoas, deixando outras 53 com ferimentos.

Motorista do ônibus e uma passageira morreram no acidente — Foto: Djeferson Kronbauer
Motorista do ônibus e uma passageira morreram no acidente — Foto: Djeferson Kronbauer

Na divisa entre os municípiios de Diamantino e Nova Mutum, no médio norte do estado, o motorista de uma carreta morreu ao bater com um ônibus, na noite de segunda-feira (16). Outras seis pessoas ficaram feridas.

Nota da empresa na íntegra

A oscilação no número de mortes na BR-163, no período mencionado, não tem relação com redução de segurança, de questões técnicas, de segurança, sinalização ou alteração no atendimento prestado na rodovia. A Rota do Oeste entende que a situação tem relação com o registro atípico de duas ocorrências com múltiplas vítimas: o acidente entre dois veículos de passeio no trecho já duplicado em Rondonópolis, onde seis pessoas morreram; e a colisão entre uma carreta e um ônibus em Diamantino com três vítimas fatais. Vale frisar ainda que o curto período de tempo analisado não é representativo para qualquer tipo de conclusão sobre segurança viária.

A Rota do Oeste adota como medida permanente de segurança a parceira com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Juntas, a Instituições realizam campanhas voltadas à conscientização dos condutores. Além disso, a Concessionária realiza a manutenção e sinalização permanente da rodovia, bem como atua em todas as ocorrências atendendo aos envolvidos diminuindo o impacto no agravamento dos ferimentos.

Por fim, a Rota do Oeste destaca que desde que assumiu a concessão da BR-163, em 2014, vem alcançando anualmente uma redução média de 28% no número de mortes na rodovia.