Rumo confirma construção de terminal em Campo Verde; investimentos representam um novo impulso de desenvolvimento para o município

334 0
De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

O presidente da Rumo Logística, concessionária responsável pela construção da Ferrovia Estadual Senador Vicente Vuolo, Beto Abreu, confirmou na manhã de segunda-feira (7) a construção de um terminal de carga e descarga em Campo Verde. A confirmação foi feita durante a solenidade de início das obras, no terminal da Rumo em Rondonópolis, que contou com a presença do Governador Mauro Mendes e do Ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio. A implantação da ferrovia e a construção do terminal representam uma nova fase de desenvolvimento para Campo Verde.

Nesta fase inicial das obras, explicou o CEO da Rumo, os trabalhos estão concentrados na construção dos 8 primeiros quilômetros da ferrovia e na construção de um viaduto sobre a BR-163. O terminal, que terá as obras iniciadas juntamente com as da ferrovia, ficará a cerca de 80 quilômetros do perímetro urbano de Campo Verde e representa um novo impulso à economia local. Serão investidos na execução do trecho, entre R$ 4 bilhões e R$ 4,5 bilhões, recursos, que, de acordo com Beto Abreu, já estão garantidos.

“Para Campo Verde essa é uma grande notícia. É um modal que o Mato Grosso esperava há muito tempo”, disse o prefeito. “Os investimentos que estão sendo feitos em infraestrutura logística, como a ferrovia e a pavimentação asfáltica de importantes rodovias, vão diminuir os custos de produção, transformar nossa cidade em um dos mais importantes entroncamentos rodoferroviários de Mato Grosso e trazer desenvolvimento, progresso, gerar emprego e renda”, continuou. “Virão novas empresas, novas indústrias, e nós, enquanto gestão, estamos nos preparando para isso, principalmente no que diz respeito à qualificação da mão-de-obra”, completou.

A expectativa é que, além da movimentação de grãos, plumas e outros produtos, que vão de fertilizantes a cerveja, o terminal atraia investimentos para o município, especialmente no segmento de etanol de milho, têxtil, fertilizantes e proteína animal, que terão sua logística facilitada pelos trilhos da ferrovia e pela pavimentação da MT-140, entre Campo Verde e Nova Mutum.

 Geração de empregos – A previsão da Rumo Logística é que a construção da ferrovia entre Rondonópolis e Campo Verde, que vai operar com vagões double stack (dois andares), vá gerar mais de 236 mil empregos, sendo mais de 78 mil diretos, 38 mil indiretos e 120 mil induzidos. O terminal de Campo Verde, de acordo com Beto Abreu, deve iniciar as operações a partir de 2026 e movimentar cerca de 30 milhões de toneladas de carga por mês. O trecho entre Rondonópolis e Campo Verde terá 211 quilômetros de extensão e será construído respeitando todas as exigências ambientais e sociais. “A ferrovia é fundamental”, disse o ministro Marcelo Sampaio. “O Brasil é um pais continental e temos aqui, hoje, a realidade de um povo que trabalha”, completou.

O governador Mauro Mendes também destacou a importância da Ferrovia, ressaltando que a obra altera a matriz logística do estado e vai impactar positivamente no dia-a-dia das pessoas, observou.

Mauro Mendes também falou sobre as medidas que o Governo está adotando em relação às questões sociais que surgirão com a obra, que deverá atrair milhares de trabalhadores de outras regiões. “Vamos construir moradias populares para abrigar essas pessoas. Pelo ponto de vista social, nós precisamos pensar, precisamos criar condições para que elas se integrem ao desenvolvimento das diversas regiões do estado sem deixar que isso se transforme em um problema social nas periferias, nas circunvizinhanças da cidade”, disse o governador.

 Por que Campo Verde? – De acordo com o CEO da Rumo, Campo Verde foi escolhido para receber o terminal por uma série de fatores, entre eles, localização, produção agrícola e logística.

Beto Abreu explicou que, além do momento econômico atual é preciso considerar fatores como distância entre terminais e a perspectiva de desenvolvimento para a construção do terminal. “E Campo Verde tem, não só uma expectativa grande de crescimento do agronegócio ligado à produção de grãos especificamente, mas também o desenvolvimento de várias outras indústrias que venham a reboque dos principais produtos”, observou.

O CEO destacou também os investimentos que estão sendo feitos pelo Governo do Estado na malha rodoviária da região, que contribuíram com a escolha de Campo Verde. Esses investimentos, segundo ele, “trazem uma dinâmica diferente do ponto de vista de competitividade, porque nós não estamos diante de um projeto de ferrovia, nós estamos diante de um projeto multimodal, de infraestrutura, que olhou essa geografia como um todo”.

Os trilhos da Ferrovia Senador Vicente Vuolo terão dois ramais. Um deles ligando Rondonópolis a Lucas do Rio Verde e outro entre Rondonópolis e Cuiabá. Os dois passarão pelo território de Campo Verde.