Procuradoria recomenda que policiais removam barracas dos bloqueios em rodovias de MT

120 0
Por g1 MT
Bloqueio na MT-010 em Rosário Oeste (MT) — Foto: Polícia Militar

O procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira, recomendou às forças policiais, nesta quarta-feira (23), para que removam as barracas e outros objetos dos bloqueios em rodovias estaduais e municipais nos pontos onde ocorriam atos golpistas feitos por bolsonaristas contrários ao resultado das eleições.

A notificação foi encaminhada a todos os promotores de Justiça e deve ser publicada no Diário Oficial do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT).

Além da polícia, o procurador-geral ainda solicitou que os prefeitos e demais agentes públicos responsáveis pela fiscalização adotem providências necessárias para impedir que sejam colocadas novas barracas e outros objetos às margens das rodovias.

Ele ainda salienta, na notificação, que o trabalho de fiscalização deve ser constante a fim de evitar que a medida seja desrespeitada. Borges também recomendou a retirada de veículos que estejam em desacordo com os códigos e normas de trânsito no local.

Atos

Na manhã desta quarta-feira, não havia mais nenhum ponto de bloqueio no estado, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O governo estadual passou a coibir efetivamente as interdições com atuação das forças de segurança a partir de terça-feira (22), como Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, além da PRF, que encaminhou mais 100 homens para ajudar nas ações, que também contaram com maquinários para desobstruir as vias.

O estado se tornou o principal foco das manifestações antidemocráticas do país, que começaram ainda em outubro, depois do resultado das eleições.

Na terça-feira (22), os policiais usaram maquinários para limpar as barreiras feitas para fechar as estradas no estado, de acordo com o Gabinete de Crise do governo estadual. Depois da ação, ao menos 19 pontos foram desbloqueados.

O superindentente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Francisco Élcio Lucena, confirmou que a polícia prendeu 14 pessoas envolvidas nas manifestações realizadas no fim de semana e apreendeu armas e celulares, que devem ser periciados para identificar quem organiza e financia os atos. Segundo ele, esses movimentos ficaram cada vez mais violentos.

Caminhões foram incendiados para bloquear as estradas. Dois suspeitos foram presos por atos análogos a terrorismo.

No sábado (19), um grupo armado atacou uma base da concessionária Rota Oeste, na divisa entre Lucas do Rio Verde e Nova Mutum. Nas imagens das câmeras de segurança, os criminosos ateiam fogo na ambulância e em um guincho. Eles ainda atiraram no rádio de comunicação dos funcionários que usavam nas operações de atendimento na rodovia.