Obra embargada no Centro Histórico de Cuiabá não teve atividade de mineração, conclui perícia

231 0
Por g1 MT
Obra embarga obra com suspeita de garimpo ilegal no Centro Histórico de Cuiabá. — Foto: Luiz Vieira/TV Centro América

O laudo da Pericia Técnica da Polícia Federal, assim como o da Agencia Nacional de Mineração, não comprovaram atividade de mineração na obra do Centro Histórico de Cuiabá. A construção, que fica Escadaria do Beco Alto, foi embargada no dia 14 de outubro, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública, por suspeita de garimpo ilegal.

Segundo o secretário Coronel Leovaldo Emanoel Sales da Silva, moradores da região fizeram denúncias, pois, no local, eram realizados trabalhos nas madrugadas e finais de semana, quando vários caminhões iam até o local e saiam carregados com material extraído do lugar.

O o dono da obra, Cláudio Campos que disse que entrou com recurso contra a multa administrativa da Defesa Civil e da Secretaria de Ordem pública.

A obra foi embargada no dia 14 de outubro, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública.  — Foto: Luiz Vieira/TV Centro América
A obra foi embargada no dia 14 de outubro, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública. — Foto: Luiz Vieira/TV Centro América

No laudo da PF, foi indicado que as escavações atingiram apenas o aterro dos terrenos e que foram encontrados indícios de construção de um muro de contenção, muro de arrimo, galerias de águas pluviais e sistemas sanitários.

“Foi constatado que as escavações na área externa das edificações atingiram apenas o aterro dos terrenos dos imóveis questionados, não chegando nas rochas do grupo Cuiabá, unidade hospedeira da mineralização aurífera”, diz trecho do laudo.

O laudo da Agência Nacional de Mineração indicou que “não foram verificadas atividades no local com objetivo de lavra de minério de ouro”.

À TV Centro América, a Polícia Federal informou que a investigação não acabou, e foi realizado o pedido para uma nova perícia.

A Secretaria de Ordem Pública estabeleceu uma multa de mais de R$ 417 mil por crime ambiental com as agravantes de reincidência, ter cometido a infração em proveito próprio, não ter as devidas licenças para construir e outras.