Projeto oferece fotos em lavoura de girassol em troca de alimentos para doar às famílias carentes de Campo Verde

31 0
Por g1 MT
Lavoura de girassóis atrai ‘selfies’ para arrecadar alimentos não perecíveis para doar às famílias carentes em Campo Verde — Foto: Arquivo pessoal

A lavoura de girassóis cultivada pelo professor do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), do campus de São Vicente, Victor Arlindo, tornou-se um ponto para ‘selfies’. No local, em troca de uma foto, as pessoas podem doar, de forma opcional, alimentos não perecíveis para doar às famílias carentes de Campo Verde, a 139 km de Cuiabá, onde está localizada a plantação.

De acordo com o professor, os girassóis são uma alternativa aos grandes e pequenos produtores durante a rotação de culturas na região. Apesar de não ter valor comercial, a planta atrai atenção pela exuberância natural e por embelezar as fotos.

O plantio no instituto é usado para pesquisas e aulas de campo, mas o interesse pelas fotos entre os girassóis foi ganhando vida, o que levou o professor a pensar em como aproveitar essa atenção e revertê-la em benefícios sociais.

“Como o experimento está localizado na cidade, sempre acabamos recebendo a visita espontânea de pessoas que pedem para registrar fotos no girassol”, contou.

Pensando em conciliar essa ideia, Victor criou o projeto de extensão ‘Girassol Solidário’, com o intuito de ajudar as famílias carentes do município que, segundo ele, caíram ainda mais na vulnerabilidade social devido aos impactos econômicos provocados pela pandemia da Covid-19.

“Queria que trouxesse a comunidade externa e ajudasse os menos favorecidos. Isso poderia ser uma excelente estratégia de responsabilidade social dos estudantes do curso de agronomia. Esse projeto só existe graças aos estudantes de agronomia, pois eles conduzem os experimentos de pesquisa e estão ajudando na divulgação”, disse.

Os agendamentos para as fotos podem ser feitas pelo telefone de uma das estudantes (66) 9 9716 6015.