Onça-parda é encontrada morta às margens de estrada para Chapada dos Guimarães (MT)

35 0
Por Kessillen Lopes, g1 MT
Onça foi encontrada morta na Estrada de Chapada — Foto: Guilherme Morais/Arquivo pessoal

Uma onça-parda foi encontrada morta às margens da MT-251, entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital, nesse domingo (24). A suspeita é que o animal tenha sido atropelado.

O artista plástico Guilherme Morais contou ao g1 que estava passeando de moto quando viu o animal na beira da estrada e decidiu parar.

“Estava a caminho do mirante e observei um animal muito grande e quando parei a moto vi que era uma onça-parda. Parecia que estava morta a pouco tempo, pois o sangue estava líquido ainda, sem coagular”, disse.

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar informou que não houve atendimento no local, porque quando a equipe soube da situação o animal já estava em estado de decomposição e não poderia ser resgatado. Segundo a polícia, os militares percorreram a rodovia, mas não localizaram o corpo da onça.

Segundo Guilherme, o felino estava com marcas de atropelamento. Além disso, no asfalto próximo ao local onde ele estava, foram identificadas marcas de pneu.

Animal tinha algumas feridas pelo corpo — Foto: Guilherme Morais/Arquivo pessoal
Animal tinha algumas feridas pelo corpo — Foto: Guilherme Morais/Arquivo pessoal

A onça também tinha quatro feridas pelo corpo, supostamente causadas pela berne – manifestação parasitária causada por larvas de uma mosca varejeira.

Guilherme disse que avisou um guia de turismo de Chapada sobre o animal encontrado.

“Voltei para procurar alguém para avisar. Contei a um guia o que havia encontrado e ele ficou muito triste dizendo que era a segunda onça parda atropelada em dois dias na região”, contou.

Orientação

Em nota, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) disse que, caso alguém encontre animais silvestres já sem vida, entre em contato com a Polícia Ambiental. Em caso de suspeita de crime ambiental, além da PM, é acionada a Delegacia do Meio Ambiente para investigação.

Já se o animal estiver vivo em ambiente urbano ou rural, ou com ferimentos, o procedimento correto é entrar em contato com a Sema ou com a Polícia Militar, que aciona o Batalhão Ambiental para a retirada.

“Com a entrega voluntária do animal é possível que ele tenha os cuidados necessários e consiga ser reabilitado para o retorno ao seu habitat natural”, disse.