Enfermeiro preso suspeito de abusar de paciente grávida em hospital de Cuiabá é solto

38 0
Por Kethlyn Moraes, g1 MT
Enfermeiro do Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá foi detido por suspeita de abuso sexual — Foto: Soraya Medeiros

O enfermeiro preso suspeito de abusar sexualmente de uma paciente grávida, de 28 anos, dentro do Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá (HG), foi solto nessa quarta-feira (14) pela Justiça após passar por audiência de custódia. Ele recebeu a liberdade provisória e será monitorado por tornozeleira eletrônica.

O caso teria acontecido na madrugada de quarta-feira (14). A vítima está internada por ter uma gravidez de risco.

Em nota, o hospital informou que abriu uma sindicância interna para apurar o caso e que vai ouvir testemunhas e analisar imagens das câmeras de segurança do local.

“Até a presente data não havia registro de má conduta do colaborador, mas, diante dos graves fatos relatados, ele será desligado do nosso quadro de funcionários. A equipe está consternada com o ocorrido, externa seu apoio incondicional para a paciente e repudia qualquer tipo de violência”, diz.

A juíza Suzana Guimarães Ribeiro determinou também que o Departamento Administrativo do Hospital Geral instaure processo administrativo para apuração do caso e afaste o enfermeiro das funções por 90 dias até a conclusão do inquérito policial.

A magistrada afirma que não há nada que justifique a custódia do flagrado em relação à garantia de aplicação da lei penal, nem que atrapalhará a coleta de provas.

“Entendo que não é o caso de manter a prisão do autuado neste momento, até que se apure por completo os fatos narrados nos autos”, diz trecho da decisão.

O monitoramento por tornozeleira eletrônica será feito por seis meses. O suspeito não pode se ausentar da cidade por mais de sete dias, nem mudar de endereço sem aviso prévio e autorização da Justiça.

O caso

De acordo com a Polícia Militar, a vítima contou ter sido medicada por volta das 2h. Logo depois, conforme o relato, o suspeito foi até o quarto onde ela estava sozinha, retirou a roupa dela e começou a passar a mão na barriga e virilha da paciente.

A mulher afirmou aos policias que a todo momento pedia para o enfermeiro parar com a ação, no entanto, ele negava e continuava os abusos. A vítima disse ainda que não conseguia reagir devido à medicação aplicada.

Ainda segundo a PM, uma recepcionista chegou a ir até o quarto, momento em que o suspeito interrompeu o abuso, mas continuou logo após a funcionária sair do local.

A PM informou que os abusos só teriam parado quando a paciente disse ao enfermeiro que o marido dela estava chegando e, em seguida, retirou a medicação do braço e começou a chamar pelo companheiro.

A vítima ainda informou que durante o abuso o suspeito perguntava para a vítima se ela estava gostando da situação.

O marido da grávida foi quem acionou a polícia. O suspeito foi detido no hospital e encaminhado ao Plantão de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica e Sexual para prestar esclarecimentos.

A Polícia Civil informou que ele foi ouvido pela delegada plantonista e autuado em flagrante e encaminhado para a audiência de custódia.

O enfermeiro já possui um boletim de ocorrência de assédio sexual, registrado em 2021 contra ele.