Mega refinaria de cocaína tinha 19 mil m² e ficava em mata fechada de parque florestal; Carnaval ‘atrapalhou’ mais prisões

83 0
Do: Olhar Direto
Foto: Reprodução

Laboratório de refinaria de cocaína localizado em território boliviano estava em espaço de parque florestal do país vizinho, de difícil acesso e com chegada possível apenas por meio de barco e avião. Mesmo assim, os policiais conseguiram lograr êxito e finalizaram com resultado positiva a Operação Guaporé, que prendeu quatro homens em um laboratório de refinaria de cocaína.  Segundo os policiais federais do Brasil, a área total tinha mais de 19 mil metros quadrados.

O espaço, que fica a 1 km de Vila Bela da Santíssima Trindade, após o Rio Guaporé, foi totalmente destruído pela Polícia Boliviana após intervenção no local. Foram quatro dias de trabalho, sendo que a entrada no laboratório foi feita na segunda-feira (28). O trabalho contou com apoio geral da Polícia Federal, Gefron e Ciopaer e prisões e intervenção no local da Polícia Federal do país vizinho.

No total, quatro foram presos e 160kg de cocaína foram apreendidos. Na refinaria foi encontrado um galpão que era usado como laboratório para refinaria da cocaína além de dormitório, refeitório e espaço de descanso. A rotina de chegada e saída da droga além do período de trabalho dos funcionários ainda não foi decifrado justamente porque o interrogatório e o  inquérito será feito no país boliviano, em Santa Cruz de La Sierra.

O delegado Jorge Gobira, titular da Delegacia de Combate ao Crime Organizado, disse que apenas foram presos quatro pessoas porque os dias eram de feriado e poderia haver uma escala  de trabalho. “Não acredito que a operação tenha vazado. Foram presos quatro pessoas porque estamos em tempo de feriado. Mas, após os trabalhos de inquérito poderemos ter mais identificados”, disse o delegado.

A Operação

Trata-se de uma das maiores estruturas empregadas para o refino de cocaína já desarticuladas na região, em um meticuloso trabalho desenvolvido através da cooperação entre as forças policiais do Brasil e da Bolívia.

Há aproximadamente dois anos, o Núcleo de Inteligência do Gefron e a Delegacia de Polícia Federal de Cáceres vinham recebendo informações de que, na região do Rio Guaporé, município de Comodoro, fronteira entre o Brasil e a Bolívia, haveria uma refinaria de cocaína.