Exame preliminar descarta estupro em bebê que morreu em MT

47 0
Do: MidiaNews
O padrasto da menor foi preso na terça-feira (8) e polícia aguarda laudo para concluir investigação
O suspeito foi encaminhado para a Delegacia de Pontes e Lacerda

Um médico legista da Politec (Perícia Oficial de Identificação Técnica) descartou, de forma preliminar, que a bebê de 6 meses internada em Pontes e Lacerda tenha sido estuprada, apontando como causa da morte um quadro de insuficiência respiratória devido à pneumonia.

A menina, que estava internada no Hospital Vale do Guaporé, tinha autismo e seria transferida a uma unidade em Cuiabá, mas não resistiu e morreu durante a madrugada desta quinta-feira (10).

O profissional realizou um exame ainda na unidade e constatou, segundo a Politec, que devido à ausência de sinais de violência sexual, não havia elementos para afirmar que houve estupro.

Outras condições patológicas associadas podem ter ocasionado as lesões constatadas inicialmente pelos médicos, “não apresentando nexo direto com violência sexual”.

No entanto, somente a Polícia Civil, após o término das investigações, poderá descartar em definitivo a suspeita de estupro.

Segundo a Polícia Civil, o delegado responsável pelo caso aguarda os laudos da equipe médica para saber se o óbito tem relação com os supostos abusos ou se foi em decorrência do quadro de pneumonia que ela apresentava.

 

O suposto estupro 

O caso veio à tona após a criança dar entrada na unidade com sintomas de falta de ar.

Conforme o boletim de ocorrência, os policiais foram acionados por uma das médicas que atendeu a criança. Ela informou sobre as suspeitas de um possível caso de estupro.

A mãe da menina foi encaminhada para a delegacia e contou que mora com o namorado, com quem tem um relacionamento de aproximadamente dois meses.

Segundo ela, os dois deram início ao romance pouco tempo depois dele sair da prisão, onde cumpria pena pelo crime de roubo.

O casal vivia com as duas filhas da mulher, a vítima de 6 meses e sua irmã, de 7 anos, em uma residência do Bairro Cohab Tuiuiú.

Durante a abordagem o homem não negou nem confirmou a autoria do crime.

As meninas ficaram a cargo do Conselho Tutelar, que também registrou um boletim de ocorrência sobre o caso.

O suspeito foi preso e encaminhado para a delegacia. A Polícia Civil investiga o caso.