Delegado conclui inquérito e descarta estupro de adolescente em praça de Cuiabá

30 0
Por g1 MT
Crime teria sido cometido em prédio abandonado na Praça Rachid Jaudy, no Centro de Cuiabá — Foto: João Ferreira/Secom Cuiabá

O delegado da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente de Cuiabá (Deddica), Clayton Queiroz Moura, concluiu o inquérito sobre um suposto estupro a uma adolescente de 14 anos, que teria ocorrido em 8 de fevereiro deste ano, na Praça Rachid Jaudy, no Centro da capital.

Segundo Clayton Queiroz, foram ouvidas testemunhas, analisadas imagens de câmeras de segurança e depoimento da própria adolescente, e resultado é de que ela não estaria no local onde relatou ter sido violentada.

A delegacia informou que os investigadores refizeram o percurso por onde a adolescente disse ter passado e analisou imagens das câmeras de segurança da região, mas em nenhum dos lugares informados ela foi localizada no dia e horário relatado.

“Da forma como ela narra, a polícia tem convicção de que isso não ocorreu. Se ela foi vítima de abuso sexual, não foi na praça. Conversamos com a mãe, mas não há elementos novos que nos convença de que ela foi vítima de abuso sexual”, disse.

De acordo com o delegado, a adolescente saiu do curso e foi para a região do Coxipó, onde permaneceu até voltar para a casa no fim do dia relatando o estupro à mãe.

O delegado afirmou que a polícia não entrou na vida pessoal da adolescente para saber mais detalhes se ela teve ou não relação naquele dia, mas, sobre o estupro, a polícia concluiu que não ocorreu naquela praça, no dia informado pela menina.

“Se ela teve alguma relação consentida, não configura crime, porque ela tem 14 anos. Focamos no que foi relatado por ela, sobre o estupro na praça e ficou comprovado que isso não ocorreu”, explicou.

O inquérito agora será enviado ao Ministério Público para análise.

Pela delegacia, o delegado afirma que não foi feita investigação relacionada a um possível suspeito do crime.

O caso

No dia 8 de fevereiro, a adolescente contou à Polícia Militar que foi abordada por dois homens quando voltava de um curso de informática e levada para um prédio abandonado, onde na época da Copa do Mundo de 2014 funcionava o Centro de Atendimento aos Turistas. Lá, ela teria sido estuprada.

Os dois homens seriam moradores de rua. À época, um homem de 33 anos foi detido pela PM por suspeita do crime. Ele também era apontado por outra suposta vítima, de 41 anos, que disse ter sido estuprada na mesma semana perto do Museu da Caixa D’água Velha, na região central de Cuiabá.

A mulher faz tratamento psicológico no Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Esse caso é investigado pela Delegacia da Mulher.

Na Deddica, onde apura o caso da adolescente, o delegado afirmou que não foi identificado nenhum suspeito do crime.