Presa após debochar da polícia, ‘Princesinha Macabra’ nega ter envolvimento na execução de jovem em ‘salve’

100 0
Do: Olhar Direto
Foto: Reprodução

Nithiely Catarina Day Souza, de 19 anos, conhecida como “Princesinha macabra” e apontada como a responsável por gravar o vídeo da execução de Gediano Silva, conhecido como Gegê, de 19 anos, que teve a cabeça decepada e jogada em um cruzamento da cidade de Lucas do Rio Verde (330 quilômetros de Cuiabá), negou que tenha cometido o crime. Porém, para a Polícia Civil, não resta dúvida de sua participação no homicídio.

“Acabei de conversar com ela e está negando. Mas as tatuagens, por si só, indicam que é ela. É uma praxe do criminoso negar. Ela faz parte de uma facção criminosa e é da índole deles permanecer em silêncio. Temos elementos suficientes de prova e informações de que ela é a mulher que aparece gravando aquele vídeo da execução”, destacou o delegado Marcello Henrique Maidame.

Ainda segundo o presidente do inquérito, os investigadores conseguiram identificar o local do esconderijo da jovem, que foi pega de surpresa. “Já vínhamos monitorando e conseguimos capturá-la, após trabalho integrado com a Polícia Militar e outros órgãos”.

Na residência, foram encontradas drogas. Ainda segundo o delegado, a mulher confessou que o entorpecente seria dela. Outras três pessoas que participaram da execução já foram identificadas e são procuradas pela Polícia Civil.

A morte do rapaz aconteceu porque ele teria comprado droga de uma quadrilha que não pertence a facção criminosa.

“Não atira não. Vai fazer barulho mano. Só na faca vai”, diz a mulher no vídeo que mostra a execução da vítima. Ela ainda faz um ‘dois’ com uma das mãos para o vídeo, simbolizando o Comando Vermelho, deixando a mostra suas tatuagens.

A localização da cabeça aconteceu depois que populares encontraram uma sacola preta, ao lado de uma lixeira, por volta de 22h de terça-feira (25), em um cruzamento da avenida Roma, esquina com a avenida Goiás, no bairro Veneza. O jovem teria sido reconhecido pela própria mãe, que também esteve na via pública.

Já na quarta-feira (26), a PM encontrou o corpo no Rio Piranhas, distante a 15 km do centro da cidade. O local é conhecido da polícia, pois muitas vítimas de facções criminosas são executadas na região.

A polícia prendeu Nithiely no mesmo dia em que a jovem apareceu nas redes sociais debochando do fato de estar sendo procurada pela polícia. Em uma publicação em sua página pessoal, a “Princesinha Macabra” foi questionada sobre a sua participação no crime. “Tá com rabo entre as pernas com medo de ser presa”, falou um de seus seguidores. Pouco depois ela respondeu: “Olha a minha preocupação”.