Carrefour é condenado na França por suicídio de funcionária

72 0
Com informações da AFP
Foto: DAMIEN MEYER / AFP

A justiça francesa condenou nesta segunda-feira (7) a multinacional Carrefour a uma multa de 50 mil euros por “homicídio involuntário”, após o suicídio de uma funcionária no centro do país em 2017.

O tribunal penal de Clermont-Ferrand também condenou um gerente a quatro meses de prisão sob sursis por “assédio moral” e “homicídio involuntário”, mas absolveu o diretor da loja acusada.

A empresa francesa, gigante do varejo mundial, também deve publicar a decisão judicial por um mês em todos os supermercados do departamento francês de Puy-de-Dôme.

A pena é inferior à solicitada pelo Ministério Público, que havia pedido na audiência de 27 de janeiro uma multa de 100 mil euros para o Carrefour e seis meses de prisão sob sursis para o gerente.

“O objetivo era conseguir uma condenação, mas há um crime de colarinho branco que causa a morte de um funcionária e é condenado a uma multa de 50 mil euros, uma trivialidade”, lamentou Clémence Marcelot, advogado da família da vítima.

Durante a audiência, a defesa havia pedido a absolvição.

Em 3 de abril de 2017, Viviane Monier, de 46 anos, cometeu suicídio em Vollore-Ville. Em carta manuscrita, essa trabalhadora há 27 anos da loja Carrefour em Thiers apontou seu ambiente de trabalho e o assédio moral do qual afirma ser vítima.

Em outra decisão judicial, que condenou em novembro a empresa por uma “culpa imperdoável”, é descrito um clima “muito ruim” na loja Thiers “há anos”, com situações de “favoritismo” e “retaliação” contra os funcionários.