Corpo de piloto que morreu durante queda de avião agrícola é sepultado em MT

71 0
Por TV Centro América
Selbi Matiello, de 40 anos, morreu em um acidente de avião — Foto: Facebook/Reprodução

O corpo do piloto Selbi Matiello, de 40 anos, que morreu após o avião agrícola que ele conduzia cair em Nova Ubiratã, no norte do estado, será sepultado nesta segunda-feira, às 10h, em Terra Nova do Norte.

Selbi estava sozinho na aeronave no momento da queda. Ele fazia a pulverização de uma lavoura quando houve o acidente, no sábado (8).

A queda está sendo investigada. Uma equipe do 6° Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) deve chegar nesta segunda-feira em Nova Ubiratã.

Avião agrícola ficou destruído após queda em área de mata — Foto: Divulgação
Avião agrícola ficou destruído após queda em área de mata — Foto: Divulgação

Eles devem analisar os destroços do avião, recolher materiais que possam esclarecer a causa do acidente.

O local onde foi registrado o acidente tem mata fechada e fica a cerca de 5 km do Assentamento Piratininga.

Por causa do impacto com algumas árvores, o avião ficou despedaçado.

O Corpo de Bombeiros informou que foi acionado, mas como a vítima não ficou presa nas ferragens, o caso foi repassado à Polícia Militar do Distrito de Boa Esperança.

Os policiais encontraram Selbi já sem vida. Ainda não se sabe o que teria causado a queda do avião.

Nas redes sociais, amigos e familiares do piloto lamentaram a morte.

2º estado com mais acidentes aéreos

Mato Grosso é o segundo estado com o maior número de acidentes aéreos no país em 2021. Segundo os dados do Painel do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Sipaer), foram 20 acidentes só neste ano no estado, que está atrás apenas de São Paulo, com 27 acidentes.

Número de acidentes aéreos registrados em 2021 por UF — Foto: Sipaer

O painel aponta que Mato Grosso também tem o segundo maior índice do país em relação aos acidentes nos últimos 10 anos. De 2011 a 2021, foram 171 acidentes aéreos registrados no estado, que, mais uma vez, fica atrás apenas de São Paulo, com 389 acidentes.

O estado também está entre os cinco com mais incidentes graves com aviões, ocupando a terceira colocação no ranking nacional, estando atrás de Goiás (11) e São Paulo (10). Em 2021, quatro dos 20 acidentes foram classificados como fatais, com a morte de todos os passageiros a bordo.

Do total de acidentes aéreos de 2021, a maioria foi de aviões particulares (13). Em seguida, estão os aviões agrícolas (4), avião regular (1), experimental (1) e táxi aéreo (1).

Esse percentual não é muito diferente quando o recorte é a última década. De 2011 a 2021, 60% dos acidentes foram de aeronaves particulares e 20% de agrícolas. (Veja no gráfico abaixo)