Após um mês – Laudo aponta asfixia por afogamento como causa da morte de estudante em cachoeira de Chapada dos Guimarães

52 0
Do: Olhar Direto
Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Laudo da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) concluiu que asfixia por afogamento causou a morte do estudante Daniel Hiarle Arruda de Oliveira, de 14 anos, encontrado a três metros de profundidade, na Cachoeira da Prainha, que fica dentro do Parque Véu de Noiva, em Chapada dos Guimarães (64 quilômetros de Cuiabá).

A morte do garoto completou um mês nesta quinta-feira (6). O menino integrava um grupo de 75 alunos, cinco professores e um inspetor da Escola Estadual Welsom de Mesquita (EE Pascoal Ramos), que realizava um passeio turístico, com os alunos pelas trilhas do complexo de cachoeiras do Parque Véu de Noiva.

No trajeto, os alunos fizeram uma parada na Cachoeira da Prainha, onde tomaram banho. Depois disto, seguiram o caminho. Os professores só deram falta de Daniel quando a chamada foi feita ao término do passeio.

oceli Mara Rodrigues de Oliveira, mãe do estudante, revelou que a excursão foi um presente de aniversário, pedido pelo próprio filho. “No dia 1º foi aniversário dele. Ele falou: ‘mãe, só me dá o passeio’. Aí eu falei: ‘ah Daniel, você só pede coisa difícil’, mas daí eu assinei o papel e o meu marido deu o dinheiro para ele ir”, disse a mãe, em entrevista à TV Centro América.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) lamentou a morte de Daniel.