Alvos de operação fizeram vítimas reféns por sete horas durante limpa em fazenda

57 0
Do: Olhar Direto
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Parte dos alvos da ‘Operação Incipere’, deflagrada nesta terça-feira (11), pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), com objetivo de combater crimes de furto e roubo de defensivos agrícolas em todo o estado, participou de um assalto em uma fazenda, no município de Nova Brasilândia, na região de Chapada dos Guimarães, ocasião em que 13 pessoas foram feitas reféns durante sete horas.

A operação tem como foco principal a repressão qualificada em relação a dois fatos específicos. Um deles é o  roubo majorado com emprego de arma de fogo, concurso de pessoas e restrição a liberdade das vítimas, ocorrido em novembro de 2020, no município de Nova Brasilândia.

No dia 12 de novembro de 2020, por volta das 18h30, cinco criminosos armados invadiram uma fazenda localizada próxima à comunidade de Peresópolis, onde renderam 13 vítimas e as mantiveram em restrição de liberdade durante sete horas. Enquanto mantinham as vítimas presas, os criminosos aproveitaram para roubar pertences da propriedade, entre eles objetos pessoais, aparelhos eletrônicos, uma caminhonete VW/Amarok, um VW/Saveiro e cerca de 1.500 quilos de defensivos agrícolas.

Durante a investigação, as vítimas reconheceram cinco autores do crime. Com a deflagração da Operaçao Incipere, a GCCO está cumprindo sete mandados, entre prisão preventiva e busca e apreensão, nos municípios de Sinop, Porto dos Gaúchos e Sorriso.

O grupo é suspeito ainda de ter participado de pelo menos outros três roubos a fazendas localizadas nos municípios de Ipiranga do Norte e Brasnorte.

Os cinco investigados têm histórico criminal. Entre os crimes praticados pelo grupo estão furto, receptação, roubo, porte ilegal de arma de fogo, homicídio e tráfico de drogas.

Já o primeiro foco da investigação é chegar aos membros de uma organização criminosa que agiu no estado em 2019.

Treze mandados de prisão preventiva expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá estão em cumprimento. Até o momento, quatro pessoas foram presas e a equipe da unidade especializada continua mobilizada em diversas regiões do estado para localizar os demais investigados.