Mãe de cinco filhos tenta pular de ponte em Cuiabá por não ter o que dar de comer a eles

77 0
Do: Olhar Direto
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Desesperada por não ter o que dar de comer para os cinco filhos, uma mulher de 25 anos, não identificada, tentou pular da  ponte Júlio Müller, no bairro do Porto, em Cuiabá, na tarde do último domingo (19). Equipes da PM estiveram no local e conseguiram salvar a vítima.

Populares viram a mulher na ponte e acionaram a Polícia Militar. Os homens do 1º Batalhão seguiram até o local e começaram a conversar com a vítima.

A mulher disse que estava desesperada devido a ter cinco filhos e não ter nada para comer em casa.

Os policiais então disseram que a ajudariam e ela resolveu descer. Um sacolão foi entregue para ela, assim como brinquedos, ofertados pelo tenente-coronel Pereira, comandante do 1º Batalhão e uma caixa de leite doada pelo cabo Modesto.

Depois disto, os militares ainda levaram a mulher até a sua casa, que fica no bairro São Mateus, em Várzea Grande.

Situação extrema

Em busca de ossos de boi, algumas pessoas estão dormindo em frente ao Atacadão da Carne, no CPA 2, em Cuiabá, para receber doações que são feitas todas às segundas e quintas. Já fazem quatro meses desde que a ‘fila dos ossos’ ganhou repercussão nacional e o número de pessoas indo ao estabelecimento atrás de ajuda só aumenta a cada dia.

A fila para receber ossos ultrapassava duas quadras com moradores de todos os cantos da capital mato-grossense. Ao observar as pessoas que vão até o açougue, percebe-se que a maioria é de idosos e mulheres chefe de família. Alguns aposentados, que não conseguem viver com um salário mínimo (R$ 1,1 mil), doentes e desempregados também buscam um auxílio alimentar no local.

O Atacadão da Carne, localizado no CPA 2, tem cerca de 10 anos no local. A proprietária Samara Rodrigues de Oliveira detalha que durante os dias de doações de ossos costuma acordar 4h30 para organizar a ação. Conforme acompanhou a reportagem, as doações só terminam por volta das 11h.

Ajuda

CVV

O Centro de Valorização a Vida (CVV) presta serviço voluntário e gratuito de prevenção do suicídio e apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os cerca de 3 milhões de atendimentos anuais são realizados por 3.000 voluntários em 104 postos de atendimento pelo telefone 188 (sem custo de ligação),  ou pelo www.cvv.org.br via chat ou e-mail. A entidade realiza também ações presenciais, como palestras, cursos e grupos de apoio a sobreviventes do suicídio – GASS (https://www.cvv.org.br/cvv-comunidade/).

Sobre suicídio

O suicídio é um problema de saúde pública que mata pelo menos um brasileiro a cada 45 minutos, mais do que a Aids e muitos tipos de câncer, porém pode ser prevenido em 9 de cada 10 casos. O movimento Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio, iniciado em 2015, visa sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão – www.setembroamarelo.org.br