Novembro Azul: Prefeitura inicia agenda especial para prevenção ao câncer de próstata

39 0

De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, atrás do câncer de pulmão. A cada 41 homens, pelo menos um morrerá de câncer de próstata. O câncer de próstata pode ser uma doença grave, mas a maioria dos homens diagnosticados com a doença não irá morrer por causa dela.

Entre 2019 e 2020, houve queda de 21% nas biópsias e 27% no exame de sangue, o PSA, que auxilia os médicos no rastreamento do câncer de próstata. Para 2021, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 65 mil casos da doença, mas com o diagnóstico precoce, as chances de cura são de 90%.

Para ajudar a virar essa chave, a Prefeitura de Campo Verde, através da Secretaria Municipal de Saúde, adere à campanha nacional Novembro Azul, de conscientização sobre a importância de prevenir o câncer de próstata, e inicia uma agenda especial.

No decorrer do mês, serão realizadas palestras orientativas sobre o tema nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Nos dias 17 e 24 de novembro, serão realizados dois “Dias D” com atendimento noturno em todas as UBS da área urbana, das 18h às 21h. Será oferecido atendimento médico e/ou enfermagem, atendimento odontológico, realização de testes rápidos e palestras sobre o câncer de próstata.

Nestes dois dias o atendimento será exclusivo aos homens, dando foco principalmente no rastreamento para faixa etária de risco do câncer de próstata (homens acima de 50 anos ou 40 anos para aqueles com maior fator de risco).

“É a hora de os homens cuidarem de sua saúde. Homens acima de 50 anos, que tenham casos na família ou estejam tendo algum sintoma, como aumento da dificuldade para urinar, jato de urina lento ou mal-estar, devem procurar atendimento médico”, explica a médica Bruna Prati, que atende na rede municipal de saúde.

Bruna destaca os fatores de risco e convoca para que a rotina de exames seja anual. “A rotina deve ser feita anualmente para pessoas acima dos 50 anos e aqueles que têm fatores de risco, como casos anteriores na família, podem começar aos 40 anos. Procure atendimento e faça sua prevenção”, conclui.