Campo Verde comemora Dia Mundial do Hip-Hop com oficinas, apresentações e palestras

27 0

De: Prefeitura Municipal de Campo Verde

O Dia Mundial do Hip-Hop, comemorado em 12 de novembro, foi tema de uma noite especial preparada pelo projeto Casa do Hip-Hop e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Campo Verde (CMDCA).

Pela primeira vez a cidade recebeu um evento em comemoração ao Dia Mundial do Hip-Hop, uma maneira de fomentar e difundir essa cultura urbana, com oficinas, apresentações de alunos e palestra com o MC Lucas Leitão, que falou sobre a história do hip-hop.

No evento, foram feitas apresentações de Breakdance, Rap e Grafite. As alunas Ana Clara e Carol apresentaram um rap que elas próprias escreveram, também houve apresentações dos grupos de dança do instrutor Ananias, confirmando a importância do projeto Casa do Hip-Hop, que visa mudar a realidade de jovens campo-verdenses.

O Projeto Casa do Hip Hop foi às escolas do município e ao CRAS do Bairro Santa Rosa, levando palestras sobre Prevenção às Drogas e o Projeto Gênesis Rap, tendo como palestrante Diógenes Luiz de Oliveira (Jorjão) e Oficinas da Cultura Hip Hop.

Os jovens que participaram aprenderam na teoria e na prática alunos sobre os quatro elementos que acompanham a Cultura do Hip Hop, que são: Rap, Grafite, BreakDance e DJ.

“A cerimônia do dia 12 de novembro, realizada em comemoração ao dia Mundial do Hip-Hop, tem uma importância fundamental para a difusão do hip-hop como uma ferramenta cultural para o município. O Projeto da Casa do Hip-Hop – Esporte, Vida e Arte, veio para suprir essa carência e mostrar os talentos que já existem em Campo Verde e revelar novos talentos por meio das oficinas que serão desenvolvidas e de outros projetos que já são nossos parceiros. Com isso, estaremos não só fazendo a nossa parte, mas também contribuindo para ações culturais visando informar, orientar e ensinar adolescentes jovens e adultos acerca da cultura hip hop”, afirmou o pastor Vicente, secretário do CMDCA e um dos idealizadores do projeto.

Na ocasião, o prefeito Alexandre Lopes recebeu uma camiseta com um grafite em sua homenagem e destacou a importância da Cultura no desenvolvimento dos jovens. “Sempre digo que a Cultura e o Esporte são ferramentas de transformação na vida das pessoas. Por isso temos investido, nos dedicado a construir políticas públicas que de fato atinjam esses jovens e mostre que eles podem alcançar todos os seus sonhos e objetivos”, disse.

Origem do Hip Hop

O Hip Hop enquanto cultura urbana surgiu na periferia de Nova York, entre as comunidades caribenhas, afro-americanas e latino-americanas na década de 1970. O contexto social era de violência e criminalidade nesses bairros, e a única forma de lazer possível para os jovens era nas ruas. Eles encontraram na música, poesia, dança e na pintura uma forma de manifestação de sua realidade e contestação.

O fundador do hip hop teria sido Clive Campbell, ou DJ Kool Herc. O primeiro evento da história do hip hop ocorreu no dia 11 de Agosto de 1973, na festa de aniversário da irmã do Dj, Cindy Campbell, no número 1520 da Sedgwick Avenue, no Bronx em Nova York.

Outra data que é marco na história do hip hop é o dia 12 de novembro de 1973, dia da fundação da ONG Zulu Nation que promovia a cultura hip hop como forma de manter os jovens longe do crime e da violência.

Aos poucos a poesia na música, representada pelo rap, ganhou o espaço nas discotecas, que até então não cansavam de tocar os hits da era disco. As duplas de DJs e MCs ganhavam destaque e travavam competições entre si, as batalhas de rap, feitas só pela manifestação cultural e sem conotação de violência. O grafite nos muros era a expressão da pintura na cultura hip hop, e o break era a dança que saía das ruas para as festas em toda a cidade.