Morre em Cuiabá, aos 91 anos, o arquiteto e urbanista Moacyr Freitas

150 0
Por G1 MT
Arquiteto Moacyr Freitas morreu em MT neste sábado, 21 de agosto — Foto: José Medeiros

Morreu neste sábado em Cuiabá, aos 91 anos, o arquiteto e urbanista e artista plástico Moacyr Freitas. Ele lutava contra um câncer desde fevereiro deste ano e estava internado num hospital particular da Capital. O governo de Mato Grosso e a prefeitura de Cuiabá lamentaram a morte.

Entre os projetos de Freitas, estão a atual rodoviária de Cuiabá e a Avenida Miguel Sutil, na capital. Foi ainda um dos idealizadores do Centro Político Administrativo, sede do governo do estado, e da construção de um ‘parque da cidade’, no local onde é hoje o Parque Mãe Bonifácia.

Freitas foi autor de diversas telas que retratavam fatos históricos e que integram o acervo do Museu Histórico de Mato Grosso, além de ilustrar livros de história regional mato-grossense. E também era membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHGM).

“Vai ficar muita saudade e muita tristeza. Meu pai amava Cuiabá. Ele parava o que estava fazendo para falar sobre Cuiabá. Era de uma família muito simples e nunca conheci uma pessoa tão honesta quanto ele. Meu pai era também muito humilde, um exemplo em todos os sentidos, uma pessoa muita boa e que sempre manteve sua simplicidade”, disse Jomini Falcão Freitas, um dos filhos do arquiteto.

Ao G1, Jomini contou que pai tinha sido hospitalizado algumas vezes desde que o câncer foi descoberto. Após a penúltima internação, que foi em junho e durou 23 dias, ele já não andava mais. O arquiteto teve uma piora no quadro de saúde na quarta (18) e foi hospitalizado na noite de sexta (20), por indicação médica. A morte foi por volta das 11h30 deste sábado.

O velório será na Capela Jardins, à 00h, e o enterro vai ser no Cemitério do Porto, às 10h30. Moacyr Freitas deixa mulher, três filhos e três netos.

Obra "As lavras do Sutil", de Moacyr Freitas, arquiteto cuiabano.  — Foto: Reprodução
Obra “As lavras do Sutil”, de Moacyr Freitas, arquiteto cuiabano. — Foto: Reprodução

Trajetória

Cuiabano, ele nasceu em 1930 e formou-se na Faculdade Nacional de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Brasil (atual UFRJ), no Rio de Janeiro.

Na década de 1960, foi diretor do Departamento de Obras e Urbanismo da Prefeitura de Cuiabá. Fez parte da equipe do Projeto da Avenida Perimetral (Av. Miguel Sutil) e também da expansão urbana orientada pela implantação do Campus da UFMT.

Pesar

Por meio de nota, o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e a primeira-dama Virgínia Mendes lamentaram a morte e desejaram força à família.

“Moacyr Freitas estará para sempre na vida dos mato-grossenses, através do legado que deixou com suas obras. É uma perda irreparável. Desejamos força a todos, na certeza de que ele deixou sua marca enquanto esteve entre nós”, lamentaram na nota.

Também por nota, o prefeito da capital, Emanuel Pinheiro (MDB) também expressou pesar pelo falecimento.

“Cuiabá perde um dos nomes mais tradicionais da sua arte, arquitetura, literatura e história. Moacyr deixa um legado excepcional que o faz ser alguém que jamais será esquecido pelo povo de sua terra natal. Lamentamos receber essa notícia e desejamos que nosso Senhor Jesus dê o conforto e alívio necessário aos familiares e amigos neste momento de angústia”, disse na nota.