Em média, 20 radares e placas de sinalização são trocados por mês em Cuiabá por vandalismo e acidentes

113 0
Por G1 MT
Radares são danificados com frequência — Foto: TVCA/Reprodução

Cerca de 20 placas de trânsito são danificadas por atos de vandalismo ou acidentes, em Cuiabá. De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana da capital, esses prejuízos atrapalham o cronograma de implementação de novos equipamentos no município.

Segundo a secretaria, nos casos de vandalismo e acidentes de trânsito, as pessoas são identificadas pelas câmeras de monitoramento da Semob e da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) ou pelo boletim de ocorrência.

Depois disso, um relatório é enviado para a Procuradoria de Cuiabá pedindo o ressarcimento desses equipamentos para a compra de novos materiais e serem instalados novamente.

Há duas semanas, um carro bateu em radar na Avenida das Torres, na capital, e danificou a estrutura, mas não quebrou o equipamento devido a uma proteção.

Em outro acidente, uma caminhonete em alta velocidade bateu em um semáforo, na Avenida Tenente Coronel Duarte, que acabou sendo destruído pelo impacto da batida, mas o motorista não se feriu.

Outra preocupação da Semob é em relação aos pontos de ônibus que são constantemente danificados. Segundo o diretor de Trânsito da secretaria, Michel Diniz, no ano passado, 12 pontos de ônibus tiveram algum tipo de dano e precisaram ser revitalizados.

“Somente no ano passado nós tivemos 12 abrigos de ônibus que foram danificados. Novos abrigos já estão sendo colocados para a população que utiliza o transporte coletivo. Neste ano, já são seis abrigos danificados”, disse.

O diretor contou que essas ações atrapalham o cronograma de implementação de pontos de ônibus na capital.

Há um projeto com cerca de 1.200 abrigos de ônibus para ser instalados em Cuiabá, mas que, devido aos acidentes, a Semob precisa interromper o projeto para revitalizar o ponto danificado.

“Atrapalha o nosso cronograma porque nós temos que parar aqueles projetos que estão em andamento, revitalizar os que foram danificados, porque não podem ficar amassados ou sem sinalização e colunas de semáforo. Além de ter um prejuízo enorme pro município que todos os contribuintes pagam por isso”, disse.