“Ele pagou o que devia”, diz pai que presenciou filho ser degolado em construção

368 0
Do: Olhar Direto
Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

O pai de José Claudeson de Souza Silva, de 25 anos, afirmou que o rapaz já havia cumprido sua pena por homicídio e, portanto, “pago” o que devia, conforme descreveu o homem, que presenciou a morte do filho em construção onde ambos trabalhavam, no bairro Vila Alta, em Tangará da Serra (240 km de Cuiabá), na tarde desta quinta-feira (5).

“Ele pagou o que devia, estava trabalhando comigo”, disse o pai. José estaria em liberdade há quatro meses e usava tornozeleira eletrônica. “Chegaram três caras, encapuzados, não vi quem são. Me mandaram ficar de costas. Chegaram armados. Estávamos trabalhando”, acrescentou.

De acordo com a Polícia Civil, José estaria trabalhando em uma construção com seu pai, quando os três criminosos chegaram ao local. Eles perguntavam por pessoa chamada “Brito”. Porém, em dado momento, um dos bandidos desferiu um golpe de faca na região do pescoço de José.

Na sequência, os bandidos decapitaram o jovem, colocaram a cabeça dele dentro de uma mochila e levaram embora. Segundo o pai do jovem, José seria membro da facção criminosa rival, Primeiro Comando da Capital (PCC).

Os criminosos já foram identificados e são procurados pela Polícia Civil.

“Pegou todo mundo de surpresa, até por conta do horário. Um crime bárbaro. Estamos efetuando diligências com o apoio da Polícia Civil na tentativa de localizar os possíveis autores deste crime bárbaro, buscando imagens do veículo utilizado pelos suspeitos, alguma testemunha, para tentar localizar e prender esses suspeitos”, informou o tenente da Polícia Militar Natan.

(Com informações Bem Notícias)