Após quase dois meses, Bope encerra buscas por criminosos do Novo Cangaço; um teria morrido na mata

162 0
Do: Olhar Direto
Foto: Reprodução

A equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) que atuava na busca pelos criminosos do ‘Novo Cangaço’, responsáveis pelo roubo de R$ 900 mil das agências do Sicoob e Sicredi, no município de Nova Bandeirantes (1.026 quilômetros de Cuiabá), no dia 04 de junho, finalizou a operação na região, que durou quase dois meses e culminou na morte de nove bandidos e prisão de outros cinco.

A equipe chegou a Cuiabá no último domingo (1º), marcando o fim da operação. Em uma cerimônia no batalhão da unidade especializada, houve uma recepção por parte dos colegas de farda, discurso do tenente-coronel Roque e também uma oração. Nenhum policial ficou ferido durante os 58 dias de incursões em matas. A sensação, segundo os PMs, é de dever cumprido.

Na sexta-feira (30), o comandante do 9º Comando Regional de Alta Floresta, tenente-coronel Arruda, já havia afirmado que pelo menos um dos dois bandidos do ‘Novo Cangaço’, que seguem desaparecidos na mata, poderia estar morto,  por falta de alimentação.

O tenente-coronel Arruda ainda explicou que, quando Salvador Santos Portela, 50 anos, foi preso – no dia 09 de julho – relatou que um dos dois foragidos estava passando muito mal, desmaiando e vomitando.

“Eles estavam sem alimentação. Não estava aguentando a vida escondido na mata. Como a prisão aconteceu 15 dias depois disto, ele acredita que o comparsa não conseguiu sobreviver”, completou o comandante.

Saldo da operação

Os mortos são: Romário Oliveira Batista, Maciel Gomes de Oliveira, Luiz Miguel Melek, Waldeir Porto Costa, conhecido como Índio, Diego de Almeida Costa, Adailton Santos da Silva, Ronaldo Rodrigues de Souza e/ou Francisco de Assis Cavalcante dos Santos, conhecido como Galego, Cristiano de Jesus Nunes, de 28 anos, e Samuel Santos Silva, conhecido como Salvador, 44 anos.

Os presos são: Salvador Santos Portela, 50 anos, que teve a prisão convertida para preventiva, Edenicio Pereira Cavalcante, conhecido como Coroinha, que teve a prisão em flagrante convertida em preventiva, Josias Silveira, que teve a liberdade provisória com o uso de tornozeleira eletrônica, Franklis Souza de Jesus, conhecido como Frann, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva e Valdecir de Salles Barboza, cuja prisão em flagrante foi convertida em preventiva.

Cerca de R$ 500 mil foram recuperados pelas forças de segurança do estado.

O roubo as agências do Sicredi e Sicoob aconteceu no dia 4 de junho. Na porta do banco eles deixaram reféns sem camisa e com as mãos para cima, enquanto faziam o recolhimento do dinheiro. Para assustar e evitar a chegada dos policiais, eles dispararam vários tiros em frente à praça pública.

Todo ato é semelhante ao usado no estilo Novo Cangaço, que estava extinto em Mato Grosso desde 2013.