Mulher é presa por matar ex-namorado para roubar motocicleta

199 0
Do: Olhar Direto
Foto: Reprodução

Três pessoas envolvidas em crime de latrocínio que vitimou Tiarlis Oliveira Negrão foram presas nesta quarta-feira (7), durante operação Pretium Viate, da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município com apoio da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Delegacia de Canarana.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão contra a ex-companheira da vítima e mais dois suspeitos.

As investigações iniciaram no dia 11 de novembro de 2020 com o registro de boletim de ocorrência do desaparecimento da vítima, na Delegacia de Canarana. Na ocasião, a ex-esposa (suspeita) e outros parentes prestaram depoimentos para auxiliar a localização da vítima.

Segundo os relatos, a vítima saiu de Canarana com destino a Barra do Garças para retirar uma motocicleta Honda Bros contemplada em consórcio. Após o fato, a vítima se dirigiu até a cidade de Primavera com destino final Paranatinga, porém não deu mais notícias.

No dia 17 novembro, a equipe da Derf Primavera do Leste foi acionada para atender a ocorrência de localização de cadáver no Rio das Mortes, zona rural da cidade, sendo a vítima posteriormente identificada pela perícia.

Os policiais da Derf assumiram as investigações tratando o caso como latrocínio. Durante as investigações, através de provas testemunhais e técnicas, foi identificado indícios de autoria contra três pessoas, uma delas a ex-mulher da vítima.

Segundo as investigações, o crime teve como objetivo roubar a motocicleta de Tiarlis assim como teve como motivação uma dívida que a ex-mulher tinha com ele.

Com base nas investigações foi representado pelos mandados de busca e apreensão domiciliar e de prisão contra os três envolvidos, que foram deferidos pela 2ª Vara Criminal de Primavera do Leste.

Um dos autores foi localizado na zona rural de Primavera do Leste e os outros dois envolvidos (um casal) tiveram as ordens judiciais cumpridas na zona rural de Canarana.

Com a prisão dos suspeitos, a Derf tem o prazo de dez dias para conclusão do inquérito policial e os suspeitos estão à disposição da justiça.